terça-feira, 11 de abril de 2017

O Rio entra no mar


Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo. 
Olha para trás, para toda a jornada que percorreu, para os cumes, as montanhas, para o longo caminho sinuoso que trilhou através de florestas e povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto, que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre. 
Mas não há outra maneira. 
O rio não pode voltar. 
Ninguém pode voltar. 
Voltar é impossível na existência. 
O rio precisa de se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entrar no oceano é que o medo desaparece, porque, apenas, então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas de tornar-se oceano.




Quem vencer o inimigo interno não deve temer o inimigo externo.
 Por: Awo Falokun Fatunmbi

Aqueles que adoram Òrìşà estão empenhados em encontrar uma maior consciência de si e do mundo.
Ifá ensina que este caminho tem suas raízes no processo de superação do medo.
Há aqueles que vivem com medo e perpetuam este medo em vez de encontrar o seu destino.
Ifá, como a maioria das tradições espirituais, ensina que o medo é superado pela coragem.
Não há maneira fácil de acessar a coragem e a cada confronto com o medo envolve uma ação, apesar do medo.
Ifá reconhece que uma das maneiras mais fáceis de evitar o medo é sufocá-lo.
Por exemplo, se alguém está com medo de falhar, enquanto procura um emprego, argumentando que o medo pode negar que não há empregos disponíveis.
Os psicólogos chamam esse processo de "drift".
Um elemento-chave na vida em harmonia com o Òrìşà é a capacidade de identificar, apoiar e transformar esses medos internos que impedem a ação.
Este provérbio é muito claro em afirmar que uma vez que os medos interiores forem superados. Os medos que ocorrem no mundo exterior tornam-se insignificantes.
Um dos rituais usados para desafiar o medo é a invocação de Ògún. A invocação é seguida por um pedido a Ògún para que os obstáculos que estão no caminho sejam removidos para o fortalecimento do destino pessoal.
Quanto mais eu sabia que Ògún era reverenciado na África por este motivo, mais claro ficava para as pessoas que carregavam esse chamamento a Ògún a surpresa em descobrir que os obstáculos são internos e não externos.
Em termos literais a obstrução é imaginária e não real. De acordo com as escrituras de Ifá, os obstáculos criados como: demônios imaginário chamados de Eléníni.
Os demônios imaginários são difíceis de dissipar, porque eles permanecem ilusórios, sempre mudando de forma pouco antes de uma real transformação ocorrer.
Eu acho que muitas pessoas que disseram que queriam ter sucesso em suas carreiras, nunca fizeram progressos concretos. Frequentemente tinham muitas desculpas para a sua situação, normalmente focado em exemplos reais de tratamento injusto. Quando a divinação indica que a questão principal é o medo do sucesso, a mensagem pode ser muito difícil de ser aceita. Na minha experiência, aqueles que não aceitam são aqueles que não progridem.

Epa Òrìsà.

Tradução: Odé Ợlaigbo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.