sexta-feira, 1 de julho de 2016

Ợbatálá e seu tambor



A caixa de veneno quebrada, a espada quebrada.
A divinação de Ifá foi feita para Mobikugbe, a mãe da Lebre (ehoro).
Òrìşàlá, amante da música e do tambor, também um ancião entre os Òrìşà, tem um grande número de seguidores com um belo templo. Como Ợbatálá tem um grande número de seguidores que o veneram em seu templo todos os dias da semana, eles organizaram uma reza com música e tambor. Mas Ợbatálá não tem tambor. Como um Òrìşà poderoso, ele falou com os animais, pássaros e seres humanos. Ele também tinha alguns animais dentre seus seguidores, que vinham para o templo para adorá-lo. Dentre os animais que costumavam vir ao templo estavam ira, Otolo (Antílope) e também a Lebre. Lebre era um servo próximo de Ợbatálá. Quando Ợbatálá discutiu o assunto da confecção do tambor, a Lebre que estava presente. Mas a Lebre escondeu-se como se não estivesse a par das discussões. Todos concordaram em convidar todos os animais para virem à casa durante a celebração da semana. Como Ợbatálá gostava de Lebre, quando os membros de seu culto terminaram a discussão do assunto, ele disse para Lebre informar a todos os animais que quando viessem para casa para a celebração da semana, eles tinham que permanecer após a reza, por causa de um assunto importante, que o supremo Ợbatálá tinha para discutir com eles.
Mas Lebre deixou vazar o segredo do assunto para eles. Ele disse para todos que Ợbatálá gostaria de tirar a pele de todos os animais para fazer um tambor. Com o passar do tempo, todos os animais e humanos prepararam-se para o dia da celebração. Eles voltaram para casa e rezaram no templo. Mas, para a surpresa de Ợbatálá, nenhum dos animais permaneceu. Ele enviou uma mensagem para convidar todos os membros de seu comitê, para investigar quem havia deixado vazar o segredo e descobriram que foi a Lebre. Ợbatálá mandou buscar a Lebre para descobrir a verdade sobre o assunto. A Lebre começou a ficar com medo e ela confessou. A pessoa que segurava ele em frente a Ợbatálá, tirou a sua pele, e lebre correu rapidamente para a casa de sua mãe Mobikugbe. A mãe de Lebre, rapidamente foi até seu sacerdote particular, a divinação de Ifá foi feita, e o sacrifício pedido para a cura incluía ovo, algodão cru e banha de ori. Eles colocaram tudo isso e esfregaram no corpo de Lebre e o sacerdote fez um preparado especial de Ifá, para aplacar a dor. Enquanto isso, todos os seguidores de Ợbatálá foram convocados para um encontro para discutir o assunto. Ợbatálá disse a eles suas intenções, de fazer o tambor para que as pessoas que estivessem perto e longe, pudessem ouvir a celebração.
Ele disse então:
Gostaríamos de bater o agba em casa, gostaríamos de bater ìgbìn no templo, para possibilitar a todos os devotos ouvir, para possibilitar a todos chegar na hora.
 Mas para a surpresa de Ợbatálá, todos os animais presentes no encontro disseram: “Ouvimos em casa, também soubemos pelo caminho, de que o rei Ợbatálá gostaria de tirar a pele de todos os animais.
Agora ficou claro de que Lebre tinha deixado vazar o segredo. Desde então, Ợbatálá rejeita a lebre como animal de estimação. Contudo, Ợbatálá fez seu tambor da pele de outro animal, e recusou a pele de Lebre. E até hoje, quando os devotos de Ợbatálá querem fazer um tambor, eles não usam pele de lebre, que é muito macia. E a próprio Lebre não se curou totalmente, e sua pele permaneceu frouxa, por que a original foi removida.


(Ògúndá Kete) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.