domingo, 12 de junho de 2016

Ợbàtálá e os 200 Elefantes

Uma vez, havia uma comunidade de sapos que tinha caído em tempos difíceis e Ợbàtálá aconteceu tropeçando sobre eles. 
Naturalmente, eles apelaram-lhe por libertação e abundância.
Ợbàtálá perguntou-lhes como tinham a intenção de agradecer-lhe. 
Os sapos propuseram um acordo, dar a Ợbàtálá 200 erin (elefante é chamado erin, que também é usado para sorriso).
Ợbàtálá ficou impressionado e concordou em ajudar os sapos. 
Mas quando ele exigiu os 200 elefantes (erin), os sapos responderam, “elefantes”? 
Quem disse alguma coisa sobre elefantes? 
Dissemos 200 risos (erin)!
Podemos dizer que Ợbàtálá recusou e ele não estava rindo... 
Na verdade, ele estava perturbado e decidiu que os sapos deveriam cumprir o acordo. 
Ele disse:
Desde que vocês não podem me dar 200 elefantes, vou prendê-los e vocês vão de fato entregar-me 200 risos. 
E assim descobriu-se por que os sapos foram feitos servos de Ợbàtálá a partir daquele dia em diante. 
Quando fazemos acordos – conosco mesmos, com nossos companheiros astrais, com o òrìşà – cabe a nós manter esses acordos, a fim de evitar a calamidade. 
Devemos deixá-los ser conhecidos e cada um de nós será obrigado a cumprir os acordos que fizermos com nossos antepassados e com nossos destinos individuais. 
Como pedir algo a Ifá, se você não honra seus contratos. 

Ire alaafia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.