segunda-feira, 25 de abril de 2016

O Sacerdote não pode mentir em uma consulta ao oráculo.



Ẹsẹ de Òyékú l'Ogbè

Sobre mentir quando consultar o oráculo

Muitos foram os babalawo que consultaram Ifá para Ọlọfin.
Foi ordenado que seus ministros vigiassem o que os adivinhos faziam para ele.
Èşù vigiava tudo o que eles faziam.
Ifá ordenou que fosse dada uma coroa a Ọlọfin.
Eles, os Bàbáláwo, disseram:
Para que ele quer mais uma coroa se já é rei.
Eles não fizeram o que foi determinado por Ifá.
Eles, os Bàbáláwo, dirigiram-se ao Ợrùn para dar Ifá a Ọlọfin, mas trocaram o Odù.
Quando eles partiram para entregar Ifá a Ọlọfin, Èşù que ia à frente não parava de assobiar.
E Èşù chegou antes de todos ao Ợrùn.
Ele contou a Ọlọfin tudo o que havia acontecido.
Ele disse que o Odù havia sido trocado.
Ele disse que os Bàbáláwo não queriam dar a Ọlọfin mais uma coroa.
Èşù contou a Ọlọfin tudo o que se passara.
Èşù disse que o Odù que saíra na consulta era Òyèkú.
Quando eles (os Bàbáláwo) chegaram ao Ợrùn.
Quando eles tentaram convencer a Ọlọfin com suas mentiras.
Ọlọfin já sabia de toda a verdade.
Èşù contou a Ọlọfin tudo o que havia assistido.
Então, desmascarados, eles passaram por um grande apuro.
E tiveram que se curvar diante de Ọlọfin.
E Ọlọfin perguntou:
Vocês não podem ser honestos comigo?
Disse mais:
Vocês tentam enganar a mim que sou o seu rei.
Ele perguntou:
Com quem agirão com sinceridade?
Ele perguntou:
A quem dirão a verdade, somente a verdade?
E eles, os Bàbáláwo, se jogaram no chão diante de Ọlọfin e suplicaram que os perdoassem.
E eles juraram diante do Pai que, a partir de então, só diriam a verdade.
E Ọlọfin os perdoou.
Mas Ọlọfin ordenou que Èşù os vigiasse sempre, pois não havia mais confiança.
E Èşù passou a perseguir e a punir aqueles que não dizem a verdade.

Interpretação:
O verso ensina que os bàbáláwo e também todos os sacerdotes de Òrìşà não podem mentir nas consultas ao oráculo e que a prática da verdade deverá ser sempre sua meta e o objetivo, pautando suas declarações e orientações.
É inadmissível que o conhecimento inerente ao sacerdócio e às suas atribuições sejam usados como armas para manipular e tirar proveito de quem busca orientações em Ifá através de seu oráculo.
Aqueles que teimam, mentem e manipulam o oráculo serão punidos severamente, no tempo de Ọrúnmìlà.
Portanto, fiquem atentos e não mintam quando consultar seus oráculos.

Èşù é o guardião e a punição virá, mais dia...menos dia.

O verso é embasado pelas palavras de Òrúnmìlá dentro do Odù Òsá’túrá que afirma:


Òsá Aláwòo (Òsá’túrá) diz:

O que é a Verdade?
Eu digo:
O que é a Verdade?
A Verdade é o sacerdote do Órun que protege o mundo.
Òrúnmìlá diz que a Verdade é o espírito que protege o mundo invisível.
A Verdade é o conhecimento que Òlódùmàrè está aplicando.
Òsá Aláwo (Òsátúrá) a questão novamente é:
O que é a Verdade?
Eu digo:
O que é a Verdade?
Òrúnmìlá disse que a natureza de Òtító é o caráter de  Òlódùmarè
A Verdade é a palavra que não muda.
A Verdade é Ifá.
A Verdade é a palavra indestrutível.
A Verdade é o poder sobre todas as atribuições.
A bênção que dura para sempre.
Essa foi a declaração do Ifá aos habitantes da Terra.
Eles sempre foram avisados a fazer a coisa certa.
É preciso ser honesto!
Quem for correto será apoiado pelas divindades.

Àse.

Epá Odù. Epá Òrìşà.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.