quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Èjì Ogbè

Ìròkó

Ifá diz que a pessoa que tem Èjì Ogbè revelado precisa saudar e louvar a Òlódùmarè e Ifá todos os dias na parte da manhã, por todas as coisas boas que receber na vida e deve pedir mais coisas boas.

Sobre isto Ifá diz:

Ifá diz que quando o dia amanhece é quando cumprimentamos uns aos outros
Parar de cumprimentar é igual guardar malícia
A recusa em cumprimentar uma pessoa é como guardar malícia contra essa pessoa
Estas foram as declarações de Ifa para Oluronmbi
Que se levanta cedo de manhã
E declarou que ela nunca cumprimentaria a Ifa
Quando lhe perguntaram: Porque?
Ela respondeu que tinha seguido Ifa por tanto tempo
Mas seu Ifa não tinha sido para seu benefício
Ọrùnmìlá acordou no início da manhã
Ele disse: Oluronmbi bom dia para você.
Oluronmbi respondeu hun-hun-un-un
Ọrùnmìlá disse: Oluronmbi por que você está murmurando e reclamando?
Oluronmbi respondeu que era porque não tinha dinheiro
Ọrúnmìlá preparou a erva da riqueza para ela
Ele se tornou rica
Depois de conquistar muitas riquezas
Ela se recusou a dar graças a Ifá.

Ela havia sido seguidora de Ifá por muito tempo. Mesmo assim ela se recusou a saudar Ifá.
Nunca mais.
Quando Ọrúnmìlá se deu conta disto, ele foi até Oluronmbi muito cedo pela manhã para saudá-la.
Ela respondeu se queixando.
Quando Ọrúnmìlá perguntou o porquê da queixa, ela disse que depois de ter servido a Ifá por muito tempo ela não tinha riquezas para mostrar.
Ọrúnmìlá viu isto como um desafio e preparou ervas que fazem com que a pessoa fique rica, para Oluronmbi.
Ela se tornou muito rica e mesmo assim se recusou a dar graças e mostrar gratidão a Ifá.
Quando Ọrùnmìlá viu que ela se recusou a mostrar gratidão ao se tornar uma mulher muito prospera, ele se aproximou dela novamente e a saudou.
Ela respondeu com queixas.
Quando Ọrùnmìlá perguntou o porquê destas queixas e múrmuros, ela respondeu que era impossível para ela ter um esposo responsável e ao seu gosto. Um trabalho apropriado de Ifá foi feito e ela se tornou uma mulher muito bem casada. Ela também se tornou a invejada de outras mulheres casadas e solteiras também. Ainda assim ela se recusou a agradecer ao seu Ifá* que tornou possível todas estas coisas.

Depois que Ifa fez Oluronmbi uma mulher prospera e feliz no casamento, ela ainda assim se recusou a cumprimentar Ifa e mostrar seu apreço ou mesmo agradecer a Ifa por tudo o que tinha sido feito por ela. Mas para provar que Ifa não tem qualquer ressentimento contra ela e não possuía qualquer malícia. Ọrúnmìlá acordou bem cedo pela manhã para cumprimentá-la.
Ela respondeu com queixas e murmúrios.
E novamente Ọrùnmìlá lhe perguntou por que estava se queixando.
Ela respondeu que não tinha uma casa própria Ọrùnmìlá preparou umas ervas para ela e em pouco tempo ela se tornou uma orgulhosa proprietária de uma grande mansão. Depois de erguer seu prédio e completa-lo ela se recusou a saudar Ifá ou mostrar qualquer forma de apreço.

Este foi o tempo que Ọrùnmìlá lhe disse que tinha algumas perguntas a serem respondidas.
Ọrùnmìlá fez a ela as seguintes perguntas:
Quando você disse que não tinha dinheiro, eu fiz você prosperar, muito além do que você poderia imaginar.
Você regressou para dar graças e mostrar gratidão?
Ela disse que nunca retornou.
Em segundo lugar: Quando você se queixou que não tinha um marido, eu fiz o possível para que você tivesse o marido de seus sonhos. Você se tornou uma mulher muito invejada. Todos estavam elogiando e desejando um marido como o seu.
Foi assim que aconteceu?
Sim, foi assim mesmo que aconteceu, ela respondeu.
Você voltou para dar graças ou demonstrar apreço?
Ela respondeu:
Não, eu nunca voltei.
Em terceiro lugar: Quando você se queixava por não ter uma casa própria, Ifá tornou isto possível, para que você pudesse construir uma enorme mansão.
Foi assim que aconteceu?
Ele perguntou.
Sim, foi deste jeito que aconteceu.
Você retornou para dar graças ou demonstrar algum apreço?
Não, eu nunca voltei.
Ela respondeu.
Ọrùnmìlá então afirmou que ficou claro que ela era uma pessoa que nunca soube como mostrar gratidão por todo bem que foi feito para ela.
Por esta razão, Ọrùnmìlá lhe disse por que seu filho não estava com ela (ela era estéril).
Se você precisa de uma criança vá e suplique na casa de Iroko -Ogbo Olùwéré.
Ifa disse-lhe que ela iria encontrar muitas pessoas que tinham ido lá para pedidos semelhantes.
A única condição era que ela tinha que fazer uma promessa solene de que daria seu filho a Iroko -Ogbo Olùwéré, depois de dar à luz.
A ela foi dito que deveria mencionar tudo que ela sabia ser capaz e se resignar com sua promessa, não importando o tamanho.
Ọrúnmìlá a advertiu a não demonstrar o seu tipo de atitude costumeira com Iroko.
E assim ela foi dispensada.
Quando Oluronmbi chegou ao Ojùgbò de Iroko, ela se encontrou com muitas mulheres fazendo suas promessas.
Elas diziam:
Iroko se tu me deres um filho, eu estarei aqui nesta mesma data com uma grande ovelha.
Iroko eu necessito de um filho, se você me der um filho, eu voltarei no próximo ano com um grande cabrito.
Iroko a família de meu esposo está planejando mandar-me para longe, por que eu não posso ter filhos, se você me der filhos, eu te darei uma grande galinha no próximo ano.
Grande Iroko, uma árvore na terra, porém, uma divindade no Òrun, minha casa tem sido ameaçada por que eu não consigo dar um filho homem ao meu marido. Sua família está planejando casa-lo com outra mulher, uma que possa lhe dar um varão. Torne possível que eu engravide este mês e que eu dê a luz a um varão, para que meu esposo tenha um herdeiro em sua linhagem, antes que outra mulher o faça. Se você fizer isto por mim, eu te darei um grande carneiro com chifres retorcidos nesta mesma data, no próximo ano.
Estas foram algumas das petições e promessas que Oluronmbi escutou as outras mulheres fazerem. Ela de todas as formas não acreditou que Iroko fosse capaz de fazer tudo aquilo.
Quando chegou sua vez de fazer a promessa ela disse:
Iroko eu vim aqui para que você me dê um filho bonito. Se você me der um filho bonito, eu voltarei aqui no próximo ano, nesta mesma data para sacrificar meu filho para sua apreciação.
Todos os presentes olharam com comoção e surpresa. Eles a aconselharam a fazer outro tipo de promessa, porém, ela recusou.
Iroko lhe disse que pensasse bem em sua promessa e ela disse à Iroko que isto era o que ela tinha em mente. Todos se dispersaram.
No mês seguinte, ela engravidou.
Nove meses depois, ela deu à luz a um filho saltitante. O filho era o mais bonito de todos ao redor, desde muito tempo. O bebe era robusto, volumoso, saudável e feliz. Èşù Òdàrà mesmo mimou esta criança. A criança se tornou o bebe da comunidade inteira e era amado por todos.
De todas as formas, quando chegou o tempo de Oluronmbi cumprir sua promessa, ela não pode mais dormir. Ela somente chorava, chorava todos os dias e em qualquer lugar. Ela dizia que não acreditava que Iroko fosse fazer isso com ela.
Ela pensou que nunca mais teria um filho.
A razão era que Ọrùnmìlá sabia que ela era estéril desde o Òrun e a encaminhou a Iroko. Agora que ela havia dado à luz a um filho, ela não poderia pensar em perde-lo. Ela mergulhou em seus valores e foi consultar Ifá.
Na casa do Áwo o Odù Èjì Ogbè foi revelado. O Áwo lhe disse que ela estava na presença de um dilema, por que simplesmente ela não sabia como demostrar apreço a alguém quando lhe faziam um bem. Eles de todas as formas lhe disseram que ela deveria oferecer um ebo com:
Dois cabritos adultos e grandes e dois mil igbìn e também lhe pediram que ela fosse ao Ojùgbò de Iroko. Èşù Òdàrà se ofereceu a acompanhar Oluronmbi até o Ojùgbò, por que o dia tinha sido muito amargo para ela.
Chegando ao Ojùgbò, ela viu todas as mulheres que ela havia encontrado no ano anterior rendendo suas promessas.
Elas vinham com galinhas, cabras, ovelhas, carneiros, cabritos, pombos, comida e Iroko estava colecionando tudo que elas prometeram a ele. Iroko se mantinha olhando para Oluronmbi com desprezo.
Quando chegou a vez de Oluronmbi, com a maior tristeza, a maior tristeza de sua vida, ela começou a suplicar e a cantar dizendo:

Oh Iroko, por favor me respalde.
Oh Iroko, por favor, tenha compaixão
Oh Iroko, por favor me respalde
Muitas pessoas prometeram cabras.
Suas belas cabras.
E muitos outros prometeram ovelhas.
Suas robustas ovelhas.
Porém, eu, Oluronmbi lhe ofereci meu filho
Meu filho, é justamente como o azeite de palma recém preparado
Oluronmbi Oh! Por favor me dê sua ajuda.
Oh Iroko, tenha piedade de mim!
Ela se jogou na terra suplicando a Iroko para que tivesse piedade dela. Ela disse que ela somente vivia feliz por causa de seu filho.

Em vez de Iroko demostrar algum tipo ou forma de compaixão, ele teve o mais alto grau de desprezo que se poderia mostrar. Iroko respondeu com sua canção dizendo:

Você, Oluronmbi, vivia cobrando por filhos
E eu Iroko, sou um cobrador de bebes
Você, Oluronmbi, vivia cobrando por filhos
E eu Iroko, sou um cobrador de bebes
Você viu muitas pessoas prometendo cabras
Suas cabras bonitas
E viu muitas outras oferecendo ovelhas
Suas ovelhas robustas
Você, Oluronmbi, prometeu teu filho
Teu filho a mais justa compleição, como o recém preparado azeite de palma
Você, Oluronmbi, vivia cobrando por filhos
E eu Iroko, sou um cobrador de bebes


Iroko disse a ela que nada foi obrigado e ninguém a obrigou a fazer a promessa. Isto foi o que ela prometeu, trazer seu filho, o filho que foi dado a ela.
A promessa, insistiu Iroko, era a promessa.
Iroko disse que os cabritos que ela trouxe não seriam aceitos. Oluronmbi chorou muito. Iroko não moveu uma palha. Neste momento Èşù Òdàrà pediu a Oluronmbi que trouxesse seu filho, ela o levou. Ele lhe pediu que trouxesse o cabrito. Ela levou também. Èşù Òdàrà disse que a cabeça da criança seria dada a Iroko e que a criança seria degolada. Iroko disse que isto seria aceito. Èşù pegou seu facão, o mesmo que foi oferecido no ebo e colocou a criança no chão e ao mesmo tempo colocou o cabrito ao seu lado. Èşù Òdàrà a sua maneira toda especial colocou a criança para traz, onde estava a mãe e degolou o cabrito. Ele enrolou a cabeça do cabrito em um tecido branco e o deu a Iroko. Iroko aceitou o embrulho, quando descobriu que era a cabeça do cabrito ele protestou.
Èşù Òdàrà disse que ninguém cobra uma cabeça duas vezes.
Por que não olhastes bem antes de aceitar o que foi prometido?
Èşù Òdàrà disse, caso encerrado.

 Èjì Ogbè diz:

Ifá diz que quando o dia amanhece é que cumprimentamos uns aos outros
Parar de cumprimentar é igual guardar malícia
A recusa em cumprimentar uma pessoa é como guardar malícia contra essa pessoa
Estas foram as declarações de Ifa para Oluronmbi
Que se levanta cedo de manhã
E declarou que ela nunca cumprimentaria a Ifa
Quando lhe perguntaram: Porque?
Ela respondeu que tinha seguido Ifa por tanto tempo
Mas seu Ifa* não tinha sido para seu benefício
Ọrùnmìlá acordou no início da manhã
Ele disse: Oluronmbi bom dia para você, disse
Oluronmbi respondeu hun-hun-un-un
Ọrùnmìlá disse: Oluronmbi por que você está murmurando e reclamando?
Oluronmbi respondeu que era porque não tinha dinheiro
Ọrúnmìlá preparou a erva da riqueza para ela
Ele se tornou rica
Depois de conquistar muitas riquezas
Ela se recusou a dar graças a Ifá.
Ifá diz que quando o dia amanhece é que cumprimentamos uns aos outros
Parar de cumprimentar é igual guardar malícia
A recusa em cumprimentar uma pessoa é como guardar malícia contra essa pessoa
Estas foram as declarações de Ifa para Oluronmbi
Que se levanta cedo de manhã
E declarou que ela nunca cumprimentaria a Ifa
Quando lhe perguntaram: Porque?
Ela respondeu que tinha seguido Ifa por muito tempo.
Mas seu Ifa não tinha sido para seu benefício
Ọrùnmìlá acordou no início da manhã
Ele disse: Oluronmbi bom dia para você, disse
Oluronmbi respondeu hun-hun-un-un
Ọrùnmìlá disse: Oluronmbi por que você está murmurando e reclamando?
Oluronmbi respondeu que era porque não tinha sua própria casa.
Ọrúnmìlá preparou uma erva que tornaria possível ela obter sua casa
Ela se tornou uma prospera dona de uma casa
Depois de assegurar uma casa ao seu gosto
Ela se recusou a dar graças a Ifá.
Ifá diz que quando o dia amanhece é que cumprimentamos uns aos outros
Parar de cumprimentar é igual guardar malícia
A recusa em cumprimentar uma pessoa é como guardar malícia contra essa pessoa
Estas foram as declarações de Ifa para Oluronmbi
Que se levanta cedo de manhã
E declarou que ela nunca cumprimentaria a Ifa
Quando lhe perguntaram: Porque?
Ela respondeu que tinha seguido Ifa por muito tempo
Mas seu Ifa não tinha sido para seu benefício
Ọrùnmìlá acordou no início da manhã
Ele disse: Oluronmbi bom dia para você.
Oluronmbi respondeu hun-hun-un-un
Ọrùnmìlá disse: Oluronmbi por que você está murmurando e reclamando?
Oluronmbi respondeu que era porque não tinha sua própria casa.
Ọrúnmìlá preparou uma erva que tornaria possível ela obter sua casa
Ela se tornou uma prospera dona de uma casa
Depois de assegurar uma casa ao seu gosto
Ela se recusou a dar graças a Ifá.

Ifá diz que quando o dia amanhece é que cumprimentamos uns aos outros
Parar de cumprimentar é igual guardar malícia
A recusa em cumprimentar uma pessoa é como guardar malícia contra essa pessoa
Estas foram as declarações de Ifa para Oluronmbi
Que se levanta cedo de manhã
E declarou que ela nunca cumprimentaria a Ifa
Quando lhe perguntaram: Porque?
Ela respondeu que tinha seguido Ifa por muito tempo
Mas seu Ifa não tinha sido para seu benefício
Ọrùnmìlá acordou no início da manhã
Ele disse: Oluronmbi bom dia para você,
Oluronmbi respondeu hun-hun-un-un
Ọrùnmìlá disse: Oluronmbi por que você está murmurando e reclamando?
Oluronmbi respondeu que era porque não tinha seu próprio filho.
Ọrùnmìlá disse por que seu filho não estava com ela
Ele lhe disse para ir se encontrar com Iroko Olùwéré
E que fizesse uma promessa por filhos
Ela foi aconselhada a fazer ebo
Ela cumpriu
Èşù Òdàrà lhe acompanhou até Iroko
Agora, Oluronmbi oooo,
Iroko, por favor, me ajude
Oh! Iroko, por favor tenha pena de minha condição, seja indulgente comigo
Muitas pessoas prometeram cabras
E muitas outras prometeram ovelhas,
Suas ovelhas robustas
Porém, Oluronmbi prometeu seu filho
Seu filho é a compleição justa como o azeite de palma recém preparado
Oluronmbi, recebedora de bebes
Pouco depois, não muito depois
Juntemo-nos em meio a felicidade
Venham e nos vejam em meio a todo ire da vida.
(Todas as coisas boas da vida).


Ifá diz que a pessoa para quem este Odu é revelado deve ter motivo para se alegrar, mesmo quando ele ou ela demonstraram uma falta de gratidão.
A boa vida virá somente se ele ou ela estiverem dispostos a virar uma nova página.
E se tornar uma nova pessoa (bom caráter).

Fonte: Ifá Dida 
Oluwo Solagbade Popoola

Tradução Odé Gbàfáomi

Esè Ifá Èjì Ogbè é propriedade imaterial da humanidade decretado pela Unesco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.