domingo, 8 de junho de 2014

Nossas atitudes são nossas responsabilidades.


Vemos com frequência diversos amigos e irmãos de fé, internautas se lamentando por terem incorrido em algum tipo de erro relativo ao comportamento pessoal, amoroso, social ou religioso.

As atitudes, os atos, as palavras, os pensamentos, calunias/difamações e sentimentos negativos de ódio, raiva, ira ou qualquer coisa que valha, são pontos a serem discutidos neste artigo.

Nossas atitudes não são amenizadas por um simples gesto de arrependimento. O arrependimento e pedido de desculpas são relativos ao caráter pessoal, ao crescimento espiritual, desenvolvimento da inteligência emocional e aprendizado.

Um verso de Ogbè Yonu (Ògè’Ògúndá) nos diz:

A descendência de Okika
Adivinhação por Ifa foi feita pelos descendentes de Orubutu.
Os descendentes de Orubutu.
Foi lançado Ifá para a garrafa quebrada (Opalábà).
A prole de Orubutu e Opalábà.
Ifa foi lançado para aqueles em Oyilajbomono (foi feito jogo).
Eles têm apenas uma esposa
E eles a trouxeram furtivamente de longe
Ifá não está em casa.
Eis porque as pessoas me ridicularizam.
Quando ele chegar, ele me socorrerá.
Ọbàrà Òsé é aquele que recupera Ogbè Yonu.
Qualquer um que tomar a mulher do sacerdote de Ifá.
A folha Idi vai criar problemas em sua casa.
Ifá não está em casa.
Eis porque me ridicularizam.
Quando ele chegar, vai me redimir
Ọbàrà Òsé logo vai trazer a salvação para Ogbè Yonu.
Ele que roubou a mulher do sacerdote de Ifá.
O rato gigante vai cavar o túmulo de todos e levá-los para o òrun (céu)
Ifá não está em casa.
Por isso estão me ridicularizando.
Quando ele chegar vai me resgatar.
Ọbàrà Òsé logo vai trazer a salvação para Ogbè Yonu.
Ele que levou a esposa do sacerdote de Ifá.
A folha Akawoleri mo lo tete.
Certamente eles chorarão como o orvalho que cai sobre a folha.
Ifá não está em casa.
Por isso me ridicularizam.
Quando ele chegar, vai me resgatar
Ọbàrà Òsé logo trará salvação para Ogbè Yonu.

A reparação divina sempre vem em sua hora mais propicia.

Dentro de nossa religião não temos:
O arrependimento das faltas cometidas durante a vida e a garantia da salvação.
Nossos valores são outros.
Somos os responsáveis, e os unicamente responsáveis, por nossos atos e vamos prestar conta destes atos, com o agravante de podermos distribuir esta falta por nossa família no òrun (reino espiritual), dentro do conceito de Àyànmọ (aquilo que recebemos como um carma).
Não negamos a existência de ebó e orações que se prestam a aliviar a carga ou mesmo livrar a pessoa de uma falta cometida.
No Odù Òyékù’Òtúúrúpòn vemos o bàbáláwo fazer ebo para esta finalidade.

Ọrùnmìlá me perdoará, o Perdão me perdoará.
Se água mata um ser humano, isto será perdoado.
Se um rei mata um ser humano, ele será perdoado.
Ọrùnmìlá!
Permita que eu seja perdoado nesta questão!
Permita que todas as pessoas da cidade perdoem-me em consideração a esta questão, como a chuva em todas as casas eu serei perdoado pela comunidade.
Dois .... e ....... cauwries muito bem oferecidos.
Ewé: moer todas as folhas de Ifá e mistura com ìyèrósùn.
Coloque a mistura em dois pequenos….
Embrulhe e use, até o perdão ter sido recebido.

Este é o ebo confeccionado pelo Bàbáláwo.
Eu me pergunto:
Qual o tamanho/gravidade de sua falta, para merecer tal ‘perdão’?
Não podemos nos enganar, neste quesito. Não estamos negociando apenas com seres humanos e o conceito de falta/erro é muito mais amplo do que possamos imaginar.
O Odù Òkánrán’ Òdí fala:

Este é um rato marrom
O que rói grama com facilidade
Este é rato Afeebojo.
O que corrói silenciosamente a grama.
Essa foi a previsão de Ifá para Ariyunbese,
Filho de Ilaminrin-Akoko.
Quando ela sofria de perda de filhos recém nascidos.
Ela foi orientada a fazer um sacrifício e abster-se de coisas proibidas (èèwọ-tabu)
Ariyunbese não levou a sério o conselho de Ifá.
Então, o que realmente come crianças Ariyunbese?
É a sua intemperança, é a sua relutância em abster-se de comer caracóis (tabú para ela).
Isso é o que realmente devora as crianças, Ariyunbese.

Estou certo de que o texto fala por si completamente e não há necessidade de elaboração. Este texto, cita apenas em um exemplo e explica o que pode acontecer (não o fato narrado) se você não seguir as proibições, há inúmeros exemplos em outros versículos dos Odù Ifá, mostrando como as situações ruins podem acontecer ao se violar as proibições e os tabus.

Portanto tentar se esconder, tentar ludibriar, ocultar a verdade de você mesmo, fingir que o mal é menor, que não há tanto perigo, que tudo pode ser resolvido com um ‘engambelo’ ao Òrìșà ou ficar de ‘castigo’ no barracão um fim de semana recolhido vai lhe dar a certeza do tão esperado perdão para sua falta. Bem.... Deixa pra lá.

Se o erro foi cometido de caso pensado, se foi uma falta com conhecimento de causa, se foi um ato intempestivo, um momento de raiva ou fúria, devemos nos lembrar novamente de nossos ensinamentos sagrados, devemos nos lembrar das 16 Leis máximas de Ifá que estão contidas no Odù Òfún’kárán (ver texto clicando em minha foto), devemos nos lembrar que não devemos manipular uma ‘faca’ em momentos de raiva ou descontrole.

Uma faca não pode ser tão amolada a ponto de querer cortar seu próprio cabo.

A colheita, o resultado, de nossos atos é certa!

Não nos iniciamos nesta religião para podermos ter acesso a coisas que a vaidade deseja, a iniciação é se reiniciar, é se reciclar, é mudar de vida e atitude, é crescer e aprender com todas as falhas e faltas do passado, o Odù Èjì Onilè (Ogbè mèjì) nos diz:

Iniciamos você nos segredos de Ifá ou Òrìşà
Você deve se reiniciar.
Foi assim que Èjì Ogbè (Èjì Onilé) foi iniciado.
Então ele mergulhou na floresta Sagrada.
Iniciamos você nos segredos de Ifá/Òrìşà.
Então, você deve reiniciar-se.
Se você chegar ao topo da palmeira (Igi Opè -Dendezeiro).
Não deixe suas mãos soltas.

Èjì Ogbè, o mais elevado de Odù, passou por auto iniciação, mesmo depois de ser levado a floresta sagrada (Igbòdù) para a iniciação (Te'fa, iniciação do Bàbáláwo), ele mergulhou de volta para a floresta.  Este ato mostra que mesmo um iniciado deve voltar para a floresta (seu interior), a fim de ensinar a si mesmo.  E, mesmo nessa estrofe curta, Ifá nos lembra que, mesmo que ao atingir o auge da compreensão e do conhecimento, nossa arrogância deve desaparecer, para não deixar que a nossa mão se perca e venhamos a desmoronar e cair da palmeira.

A auto reiniciação é uma ferramenta poderosa que deve ser usada para você não mais incorrer nos erros que podem lhe levar as dores de cabeça, aos arrependimentos e consequentemente a punição (ões), que pode ser nesta vida, em outra ou mesmo no seu retorno ao òrun.

Após nossa morte passamos pelo portão que liga o Ayè (mundo físico) ao Òrun (mundo espiritual), e ali, deveremos prestar contas ao Onibode (Senhor do portão), Èşù, sim, ele mesmo!

A ele vamos nos reportar em primeira instancia e teremos ao nosso lado uma poderosa testemunha que nos acompanhou durante toda a vida, que esteve ao nosso lado por toda nossa caminhada e ela será a fiadora de nossas palavras, Ojiji e este é um dos seus trabalhos.

Quando dizemos que Ifá está presente em nossas vidas e nossa vida está dentro dos ditames sagrados de Ifá (A voz de Olódùmarè) e somos levados a interpretar Ifá mesmo sem querer, é porque o mundo é/está interligado, todas as coisas estão conectadas, mesmo sem saber estamos recitando um verso/ensinamento de Ifá.

Veja o exemplo em uma música do cantor/compositores Lenine/Ivan Santos, que mesmo sem saber (talvez) nos fala sobre o que me inspirou neste dia.

Ele fala sobre assumir a responsabilidade pelas suas atitudes.

Do it.

Tá cansada, senta
Se acredita, tenta
Se tá frio, esquenta
Se tá fora, entra
Se pediu, aguenta 2x

Se sujou, cai fora
Se da pé, namora
Tá doendo, chora
Tá caindo, escora
Não tá bom, melhora 2x

Se aperta, grite
Se tá chato, agite
Se não tem, credite
Se foi falta, apite
Se não é, imite

Se é do mato, amanse
Trabalhou, descanse
Se tem festa, dance
Se tá longe, alcance
Use sua chance 2x

Se tá puto, quebre
Tá feliz, requebre
Se venceu, celebre
Se tá velho, alquebre
Corra atrás da lebre 2x

Se perdeu, procure
Se é seu, segure
Se tá mal, se cure
Se é verdade, jure
Quer saber, apure 2x

Se sobrou, congele
Se não vai, cancele
Se é inocente, apele
Escravo, se rebele
Nunca se atropele

Se escreveu, remeta
Engrossou, se meta
Quer dever, prometa
Prá moldar, derreta
E não se submeta 2x
Link: http://www.vagalume.com.br/lenine/do-it.html#ixzz33zmWkEgI

Resumindo:

Uma das melhores virtudes que um ser humano ou um ser humano iniciado nos mistérios do Òrìșà (principalmente) deve ter dentro de si é a Verdade (Òtító), é ela que vai lhe levar pelo caminho mais fácil da vida, será ela que vai lhe ajudar a carregar o fardo, ela vai lhe aliviar a carga e as tentações, ela vai levar para longe os maus pensamentos, vai trazer a reflexão para dentro de você, vai fazer de você um ser humano melhor, mais justo, mais apegado a espiritualidade e não a religião em si, vai deixar seu interior mais confortável. Vai fazer você ouvir, em vez de simplesmente escutar, vai lhe levar a reflexão, vai lhe proporcionar o amadurecimento dos sentimentos.
Ela vai guiar seus passos, vai clarear seus caminhos como um lanterna.
Ela vai lhe dar menos arrependimentos as suas atitudes, pense nisso e experimente!
Nossa religião é riquíssima em ensinamentos, Ifá, a base de nossa religião está sempre nos ajudando com seus conselhos e sua filosofia.
Veja o que diz o Áwo Fatunmbi em seu livro Ìbà’se Òrìşà:

“Dentro da estrutura do ritual de Ifá, o Odù é usado para invocar Òsá’túrá (Odù que nos fala sobre a importância da verdade) e Èsù, que é tanto o Mensageiro Divino, como o Guardião da Verdade. Este duplo papel tem causado alguma confusão entre aqueles que têm escrito sobre a posição de Èsù na cosmologia do Ifá. A confusão parece estar baseada em um mal-entendido sobre o papel da Èsù em causar distúrbios. Uma das funções da desordem natural em assuntos do cotidiano é sacudir a consciência para liberar a sua autoindulgência e pensamento rígido. Porque a Terra está em constante processo, todas as percepções da relação entre o Eu e o mundo estão em constante estado de fluxo. Aqueles que negam ou ignoram a natureza dinâmica desta relação são regularmente lançados a um estado de confusão, como resultado de algumas mudanças inesperadas dos acontecimentos. Em termos simples, a percepção humana da verdade está em constante mudança (muito cuidado com isto) e uma das funções de Èsù é nos lembrar que a busca humana da verdade nunca deve estagnar.

Dizer que Èsù é o guardião da verdade é sugerir que a verdade nunca pode tornar-se um conjunto fixo de regras ou dogmas. Em vez disso, a Verdade é uma maneira de olhar para si mesmo e o mundo, é um estado de ser (deveria ser a realidade continua dentro de todos), em vez de um ato de conhecimento. Este é um conceito ilusório para alguns ocidentais, porque fomos condicionados à ideia de que a verdade é estabelecida por fatos objetivos. A ideia de que a Verdade só pode ser descoberta se formos periodicamente sacudidos em nossas noções preconcebidas, é perturbador para aqueles que querem que a religião tenha as respostas corretas sobre qualquer assunto”.
Diz o Odù Òsá’túrá:

Òsá Aláwo diz: O que é a Verdade?
Eu digo: O que é a Verdade?
A Verdade é o sacerdote do òrun que protege o mundo.
Òrúnmìlá diz que a Verdade é o espírito que protege o mundo invisível.
A Verdade é o conhecimento que Olódùmarè está aplicando.
Òsá Aláwo a questão novamente é:
O que é o certo?
Eu digo: O que é a Verdade?
Òrúnmìlá disse que a natureza de Òtító é o caráter de Olódùmarè.
A Verdade é a palavra que não muda.
A Verdade é Ifá.
A Verdade é a palavra indestrutível.
A Verdade é o poder sobre todas as atribuições.
A bênção que dura para sempre.
Esta foi a declaração do Ifá aos habitantes da Terra.
Eles sempre foram avisados a fazer a coisa certa.
É preciso ser honesto.
Quem é correto será apoiado pelas divindades.

Um provérbio yorùbá nos remete novamente aos ensinamentos sagrados onde a afirmação do caráter é uma constante, nos direcionado, sempre, para o caminho mais virtuoso.
Novamente Fatunmbi nos brinda com um comentário sobre este Owe Ifá (proverbio de Ifá).

Tọọro looma Ilẹ If.
É um caminho reto que leva a Ilẹ Ifẹ.

Comentário:

Aqueles que acreditam em destino, aqueles que acreditam no poder de Òrìșà e aqueles que acreditam no processo de construção do bom caráter, sabem que o caminho para descobrir o destino pessoal é reto, estreito e sem ambiguidades.
Ilè Ifè é a capital espiritual dos yorùbá e está localizada no Estado de Ọșun, Nigéria (antiga Ọyọ State). Mas há outra Ilẹ Ifẹ, existente no Òrun.
Esta Ilẹ Ifẹ é considerada a casa da Criação.
É o lugar de descanso para aqueles antepassados que já cumpriram o seu destino dentro do Reino da Terra.
O caminho para Ilẹ Ifẹ no Òrun não deve ser alterado, ele é o compromisso de construir um bom caráter por meio da orientação de Ifá / Òrìșà.
Literatura mais ocidental sobre Òrìșà e Òrun, são associados com o céu e identificam-no como um morador no céu.
No entanto, a cosmologia de Ifá localiza Ilẹ Ifẹ, por analogia, como um mero lugar.
É um lugar de influência oculta de onde a sabedoria dos ancestrais evoluem continuamente e influenciam o processo de criação e evolução.
Essa crença em alguns aspectos é similar à crença religiosa do Oriente, onde as influências de Mestres Invisíveis transformam a vida espiritual na Terra.

Encerramos este artigo onde vemos uma das máximas de nosso profeta, quando ele afirma que após a exaustão, devemos deixar a pessoa viver a sua vida e a sua história da forma que mais lhe convém, porém, jamais contará com nossa ajuda.
Afinal de contas, somos os únicos responsáveis por nossos atos e atitudes.

O Odù Èjì Onilè diz:

Faça seu trabalho.
Eu não estou trabalhando.
Este foi o jogo de Ifá para a pessoa preguiçosa.
Ele que dorme até que o sol está em cima (alto). 
Ele que confia que é possuidor (herdeiro) de herança e não se expõe a sofrer (trabalhar). 
Se nós não labutamos e produzimos de nosso suor hoje.
Nós não podemos ficar ricos amanhã (a prosperidade é um processo)
Marche pela lama (Enfrente suas dificuldades).
Eu não posso marchar pela lama (Diz o descansado).
Se nós não marchamos pela lama.
Nossas bocas não podem comer comida boa.
Estas foram às declarações de Ifá à pessoa preguiçosa.
Ele que possui membros fortes, mas se recusa a trabalhar.
Ele que escolhe ser inativo pela manhã. 
Ele só está descansando por sofrer pela noite (O desfrute).
Só labutando pode-se apoiar uma pessoa (Receber benção de Òrìșà).
Inatividade não pode trazer dividendo. 
Quem se recusa a trabalhar.
Tal pessoa não merece comer. 
Se uma pessoa preguiçosa tiver fome, por favor, o deixe morrer (ficar na ignorância). 
Morto ou vivo, uma pessoa preguiçosa é uma pessoa inútil (E não fará falta).
 

Por: Odé Gbàfáomi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.