sábado, 8 de setembro de 2012

Depois que eu iniciei, eu iniciei a mim mesmo.


Alguns adoradores de òrìsá têm a noção equivocada de que a iniciação nos mistérios do Òrìsá eliminaram todos os problemas da vida, dado o poder de transcender as dificuldades e torná-los imunes à tragédia.
Todas estas noções estão incorretas.
O propósito da iniciação é dar ao iniciado uma consciência mais profunda de si e do mundo.
Esta consciência se torna a base para um processo de resolução de problemas que se baseia em uma visão complementadora de interação pessoal e ambiental.
A introdução fornece uma maneira de ver, uma forma de audição e um modo de ser. Não remove "magicamente" as dificuldades da vida que se re-iniciou.
A única maneira do poder da iniciação ser realizado é que o iniciado pode reafirmar os princípios do òrìsá, poderes vividos durante o rito de passagem, que dá origem aos sacerdotes e sacerdotisas de òrìsá.
Este é e sempre será um processo de transcender as limitações.
Cada nova revelação, cada novo entendimento, cada nova experiência traz consigo o potencial para a iluminação.
Toda vez que expandimos a nossa consciência, o velho homem deve morrer e renascer em uma nova e profunda sabedoria. Deixar de lado o velho homem, deixar de lado as velhas idéias, deixar de lado os velhos modos de ver, pode ser difícil e doloroso.
A experiência de deixar ir, no contexto da iniciação, dá a iniciação uma experiência simbólica de mudanças internas e externas que ocorrem a cada vez que expandimos a nossa consciência.
Aqueles que procuram um fim às dificuldades, os conflitos e os desafios estão buscando o fim desta vida, querem as bênçãos de uma nova vida.
Na cosmologiade  Ifá, todas as formas de riqueza vêm como resultado da transformação.

Por Áwo Fatunmbi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.