domingo, 8 de julho de 2012

Òrúnmìlá e a Sabedoria

Òlódúmarè lançou na terra todas as suas virtudes.
Òlódúmarè pediu para que os òrìsà procurassem suas virtudes para engoli-las e assim ficar com elas.
Todos os òrìsà saíram em busca das virtudes de Òlódúmarè para engolir e ficar com ela.
Òrúnmìlá não saiu para procurar as virtudes, ele fez etutu.
Cada òrìsà achou uma virtude, Ògúm achou duas, a força e a sabedoria.
Òrúnmìlá continuava a fazer etutu, não procurava as virtudes de Òlódúmarè.
Ògúm engoliu a força e após sentir-se muito poderoso apenas ficou segurando a sabedoria em sua mão.
Òrúnmìlá continuava a fazer etutu.
Òlódúmarè perguntou a Ògúm por que ele não engoliu a sabedoria.
Ògúm, imediatamente colocou a sabedoria na boca, mas, deixou no canto sem engolir.
Ògúm ficou com muita sede e foi ao rio beber água.
Ògúm agachou-se no rio para beber água sem as mãos.
Ògúm deixou cair na água a sabedoria, que estava no canto da boca.
Todos os òrìsà souberam que Ògúm perdeu a sabedoria na água.
Todos os òrìsà foram procurar a sabedoria no rio.
Òrúnmìlá acabou de fazer etutu e foi para o rio.
Òrúnmìlá com apenas um lance, tirou a sabedoria de dentro do rio e a engoliu imediatamente.
Òrúnmìlá, a partir daí, passou a ter a grande sabedoria de Òlódúmarè.

2 comentários:

  1. Fernageli, é a oferenda prescrita pelo oráculo.
    O complemento desta, se houver, chama-se adimu.

    Ire o.

    ResponderExcluir

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.