terça-feira, 6 de março de 2012

Ifá-Òrúnmìlá

Òrúnmìlá, Ifá ou Ifá-Òrúnmìlá, a divindade oracular dos iorubás, é respeitada por sua sabedoria.
As palavras Ifá-Òrúnmìlá e Òrúnmìlá designam a divindade, enquanto Ifá designa, simultaneamente, a divindade e o sistema divinatório a ela associado.
Òrúnmìlà forma-se da contração de órun-l'ó-mo-à-ti-là (somente o céu conhece os meios de libertação), ou de órun-mo-olà (somente o céu pode libertar).
Ifá, por sua vez, tem por raiz fá (acumular, abraçar, conter), indicando que todo o conhecimento tradicional iorubá acha-se contido no corpus literário de Ifá, ou Odù Corpus.
Seus principais símbolos são ikin (caroço de dende), òpèlè (a corrente divinatória, de uso privativo de seus sacerdotes, feita com oito metades da semente sagrada de mesmo nome), óta (pedra de assentamento), ìrùkèrè (cauda de animal que, após preparo artesanal e mágico, é carregada por sacerdotes e reis como sinal de realeza e poder), obi, orobo, búzios e pedaços de presa de elefante gravados, que ficam guardados em um receptáculo colocado em lugar alto, num canto ou no centro do cômodo. Seus colares e pulseiras são confeccionados alternando-se contas de cor verde e marrom.
Para orientar os que o procuram, o sacerdote de Ifá, chamado bàbáláwo (babalaô, pai do segredo), reporta-se ao Corpus do Odù, conjunto riquíssimo de conhecimentos esotéricos e registros históricos da milenar tradição iorubá. Utiliza-se de sementes de ikin ou da corrente òpèlè, cuja configuração geomântica remete a um dos 256 odus lá contidos, cujos itan (narrativas míticas) estabelecem analogias entre a situação das personagens e trajetória existencial do consulente.
Ifá compreende todos os idiomas da terra, o que lhe possibilita aconselhar todos os seres humanos, sem exceção.
O corpus literário de Ifá guarda a história dos òrìsá e o ensinamento de curas através do uso de ervas. Por isso seus sacerdotes devem conhecer, além da prática divinatória, o preparo de remédios.
Òrúnmìlá tem por irmão mais novo Osonyin, a divindade da cura, de cujo auxílio serve-se desde os primórdios.
No jogo oracular, Esù é a divindade particularmente importante, dada a sua relação estreita de amizade com Ifá.
Indivíduos de várias origens têm procurado iniciações em Ifá, tanto em território africano quanto nos países da diáspora. Esta prática é altamente recomendável, pois esta iniciação, em particular, marca seu ingresso formal na Religião Tradicional Iorubá. Além disso, em tal circunstância revela-se o odu de nascimento de cada pessoa, que indica o seu destino na terra.
As regras que o babalawo obedece incluem não se aproveitar das próprias prerrogativas. Como possui amplos e profundos conhecimentos são procurados por muitas pessoas, algumas em situação de crise, fragilizadas pelas circunstâncias difíceis que enfrentam, mergulhadas num sofrimento do qual querem escapar, literalmente, a qualquer preço – e isto favorece o abuso de poder. Entretanto, recebe a advertência de não agir em benefício próprio. Entende-se que o grande privilégio e a grande riqueza do sacerdote de Òrúnmìlá residem na oportunidade de estar a seu serviço.
Este itan do Odu Ofun'se, narrado ao Babá King pelo venerável Babalawo Fabunmi Sowunmi, elucida a esse respeito:

Ofun’se.
Aquele que mente será destruído pela mentira.
Aquele que provoca discórdia será destruído pela discórdia.
A falsidade despojará o falso da força vital de que dispõe.
A falsidade destruirá os falsos.
Foram eles que adivinharam para Ifá, sábio supremo no Òrun.
Todos aqueles que trocam a verdade pela mentira,
Serão levados para o Òrun por Ifá.
Não chamem o morto de vivo, nem chamem o vivo de morto.
Quem chama o morto de vivo ou chama o vivo de morto,
Será levado para o Òrun por Ifá.
Não chamem uma mulher fértil de estéril,
Nem chamem uma mulher estéril de fértil.
Quem chama uma mulher fértil de estéril ou chama uma mulher estéril
De fértil será levado para o Òrun por Ifá.
Não chamem o preto de branco, nem chamem o branco de preto
Quem chama o preto de branco ou chama o branco de preto,
Será levado para o Òrun por Ifá.

Òrunmilá diz que prefere matar o babalawo, que mente para quem o procura em busca da verdade e colocar em seu lugar um homem ignorante a respeito da complexa sabedoria de Ifá.
Òrunmilá prefere um homem que não conhece a sabedoria de Ifá, do que um grande conhecedor dessa sabedoria que seja falso e mentiroso.

Àse.











 

4 comentários:

  1. muito bom o site por favor gostaria de saber o porque babalawo usa contas verde e marrom no braço, e qual é o braço correto( esquerdo ou direito), PODE UM BABALAWO USAR TAMBEM NO PESCOÇO ATÉ A ALTURA DO CORAÇÃO E QUAL É O MELHOR MACI PARA LAVA LOS, ? SOU NOVO E NÃO POSSUO MAIS BABA, MAS SEI QUE OS MAIS NOVOS REVERENCIAM OS MAIS VELHOS, E GOSTEI DAS EXPLICAÇÕES DE VOCES, AGUARDO RESPOSTA,PELO EMAIL robertacri1979@bol.com HUMILDEMENTE PAI LUIS DOGUN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As contas verde e marrom representam a floresta e a ancestralidade. Todo Awo deve usar seu Ilékè, faz parte de sua indumentária.
      Estes Idé ultimamente tem sido usados tbm no tornozelo, estamos falando de Nigéria, o braço é o esquerdo.
      Vc pode pesquisar o Odù Okànràn Ogbé.
      O Idè que eu comprei
      O Idè que eu simplesmente amarrei junto
      O Idè que eu amarrei em volta do meu pulso
      Um rato entrou na minha sala em silêncio
      E levou-o
      Òrúnmìlá declarou que "a ação será adiada até que ele volte"
      Que ecoou: "Vou agir quando eu retornar"
      Eu perguntarei quando voltar
      O que eu vou fazer com o rato?
      Òrúnmìlá respondeu que o rato deve ser usado para propiciar Ifá
      Então, Ifá cortou a cabeça de rato para consumo
      O Idè que eu comprei
      O Idè que eu simplesmente amarrei junto
      O Idè que eu amarrei em volta do meu pulso
      Um peixe entrou no meu quarto em silêncio
      E levou-o
      Òrúnmìlá declarou que "a ação será adiada até que eu volte"
      Que ecoou: "Vou agir quando eu retornar"
      Eu perguntarei quando voltar
      O que eu vou fazer para o peixe?
      Òrúnmìlá respondeu que o peixe deve ser usado para propiciar Ifá.
      Então, Ifá cortou a cabeça do peixe para consumo
      O Idè que eu comprei
      O Idè que eu simplesmente amarrei junto
      O Idè que eu amarrei em volta do meu pulso
      Um pássaro entrou no meu quarto em silêncio
      E levou-o
      Òrúnmìlá declarou que "a ação será adiada até que ele volte"
      Que ecoou: "Vou agir quando retornar"
      Eu perguntarei quando voltar
      O que eu vou fazer com o pássaro?
      Òrúnmìlá respondeu que a ave deve ser usada para propiciar Ifá
      Então, Ifá cortou a cabeça do pássaro para consumo
      O Idè que eu comprei
      O Idè que eu simplesmente amarrei junto
      O Idè que eu amarrei em volta do meu pulso
      Um animal entrou no meu quarto em silêncio
      E levou-o
      Òrúnmìlá declarou que "a ação será adiada até que ele volte"
      Que ecoou: "Vou agir quando retornar"
      Ele perguntou quando eu voltar
      O que eu vou fazer com o animal?
      Òrúnmìlá respondeu que o animal deveria ser usado para propiciar Ifá.
      Então, Ifá cortou a cabeça do animal para o consumo
      Que ecoou: "Vou agir quando Que retornar"
      Ele perguntou quando eu voltar
      O que eu vou fazer com meu filho?
      Òrúnmìlá respondeu que um filho tem o direito herdar o idè
      Que o nosso filho herde o idè de sua descendência (quando morremos)
      Que nossos descendentes, tirem nosso idè
      Quando meu pai morreu
      Eu herdei seu idè
      Que o nosso filho herde nosso idè.

      Isso mostra o desejo de todos os crentes em Ifá em ter filhos que irão herdar seu idè quando eles morrerem.

      Ire o.

      Excluir
  2. que itan esé maravilhoso e rico em explicaçoes.. estou emocionado asé iré o ..aquele que divide sua sabedoria que ifá der vida longa para que seu conhecimento seja semiado por toda terra.. odabó.. asé iré o !!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelas palavras Luciano.

    Ire alaafia

    ResponderExcluir

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.