quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A PREGUIÇA É UM TABU.



O Odu Ogbe meji (Ejionile), nos fala:
  
Faça seu trabalho 
Eu não estou trabalhando
Este era o jogo de Ifá para a pessoa preguiçosa 
Ele que dorme até que o sol está em cima 
Ele que confia que é possuidor (herdeiro) de herança, não se expõe a sofrer. 
Se nós não labutamos e produzimos de nosso suor hoje 
Nós não podemos ficar ricos amanhã (a prosperidade é um processo)
Marcho pela lama
Eu não posso marchar pela lama 
Se nós não marchamos pela lama 
Nossas bocas não podem comer comida boa  
Estas eram as declarações de Ifá à pessoa preguiçosa 
Ele que possui membros fortes, mas se recusa a trabalhar. 
Ele que escolhe ser inativo pela manhã. 
Ele só está descansando por sofrer pela noite 
Só labutando pode-se apoiar um. (receber benção de òrìsá) 
Inatividade não pode trazer dividendo.  (prosperidade)
Quem se recusa a trabalhar.
Tal pessoa não merece comer 
Se uma pessoa preguiçosa tiver fome, por favor, o deixe morrer. 
Morto ou vivo, uma pessoa preguiçosa é uma pessoa inútil. 

Ifá nos conta neste poema o quanto o sacrificio por uma vida próspera é importante. Sem sacrificio (ebó) pela nossa espiritualidade e sem o sacrificio em adquirir posses, nada adianta aos olhos do Alto.
Quando lemos deixe-o morrer devemos interpretar deixe-o padecer, tal pessoa não é digna de nossa preocupação e esforço.
Ori é soberano e acima de todas as coisas é sempre ele quem decide o que você vai fazer da sua vida.

Boa leitura e medição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.