sexta-feira, 4 de março de 2011

ITANS DE OFUN - MEJI

Òfún mèjì retorna ao Òrùn

Ele estava tão desgostoso com o que os habitantes fizeram na terra que decidiu retornar para o céu para investigar seus problemas. Durante sua jornada de retorno ao céu encontrou a mulher sem lábios, que fez divinação para ele antes que atingisse o céu, mas não a reconheceu porque tinha perdido toda a memória do que ocorreu anteriormente no céu. No entanto, ele não teria ignorado a advertência dada antes da sua partida na primeira vez. Ele estava surpreso por ver a criatura incomum não tendo nem pernas, nem mãos e correu apavorado. A mulher chamou-o de volta e ele e não correu se aproximou da mulher relutantemente.
O aspecto repugnante da mulher era porque estava afligida com lepra. Em ver a sua condição ele exclamou “eekpa” atônito. É a exclamação tradicional até o dia de hoje assim que Ofunmeji surge na divinação. A mulher, entretanto implorou-lhe para fazer divinação para ela porque, suspeitava que ele fosse um sacerdote de Ifá. A mulher disse-lhe que duas coisas ela queria muito em sua vida, era como curar a sua doença e ter um filho. Ele então retirou seus instrumentos de divinação e consultou para ela.
Após a divinação, ele lhe informou que se pudessem fazer os sacrifícios necessários, ela ficaria bem e também teria filhos. Foi lhe solicitado fazer sacrifícios com três cabras, três galinhas, três pombos, três caracóis, três ratos, três peixes, três orogbos, três obi e três medidas de comprimento (10, 914 metros) de pano branco.
Foi neste estágio que ela perguntou a Ofunmeji se ele compreendia que estavam no céu, aonde ela não podia obter estes materiais. Ofunmeji convidou-a a retornar com ele para a terra afim de que pudesse fazer o sacrifício para ela lá. Depois disso ele carregou-a em seu retorno.
Logo em seguida, eles atingiram uma encruzilhada tripla (Orítameta). Antes que eles passassem a encruzilhada à mulher lhe disse que devido a sua condição ela não estava apenas proibida de viver na cidade, mas também viajar a luz do dia. Naquele ponto eles encontraram um homem que era um inspetor da encruzilhada chamado Asipa. Com o auxilio de Asipa, eles cortaram caminho pela floresta e construíram uma cabana lá. A pedido da mulher, a cabana não tinha porta e o único caminho conhecido para a entrada da cabana era o ponto em que a árvore da vida (Ako Oko em Yoruba e Ikhinmwin em Bini) estava plantada, bem como o local no qual uma folha de palma estava amarrada na cabana. Antes de deixá-la para apanhar os instrumentos para o sacrifício, Ofunmeji perguntou-lhe como ele seria capaz de vê-la já que a cabana não tinha entrada. Ela ensinou-o a repetir o encantamento, depois do que ele colocaria suas costas para a parede sob a folha de palma e o portão se abriria. Ele deveria dizer “Oro Oyin kiimu eyon, eekpa – aikoro lule awo”. Antes de deixá-la, Ofunmeji descobriu que ela só tinha um seio. Aquela cabana era chamada Ile-Odi popularmente conhecida como Ileji.
Resumindo sua jornada para o céu, Ofunmeji visitou seu confidente íntimo chamado Akpena que tinha estado procurando por uma esposa. Após contar-lhe a condição da mulher perguntou se ele estava preparado para casar com alguém tendo aquelas deformidades. Surpreendentemente, Akpena concordou em se encontrar com a mulher. Depois disso Ofunmeji pediu a Akpena para coletar todos os materiais para o sacrifício e ambos retornaram para a cabana. Após o sacrifício, Ofunmeji apresentou formalmente Akpena à mulher.
Antes que a mulher concorda-se em se tornar à esposa de Akpena, ela retirou uma misteriosa vara na qual ele foi feito jurar nunca revelar sua condição. Ela também disse que se alguém mais viesse para a cabana para vê-la por alguma razão, ele deveria ser ofuscada para preveni-lo de ver sua condição. A única exceção era Ofunmeji e todos os outros sacerdotes de Ifá depois dele. Antes de qualquer um vê-la, o mesmo juramento deveria administrado a ele ou a ela, não revelar sua condição.


OFUNMEJI RETORNA PARA O CÉU.

Assim que o sacrifício foi feito, a mulher aleijada ficou curada de sua lepra, assim como sua juventude e beleza feminina se tornou notáveis. Depois do que Ofunmeji decidiu abreviar sua jornada para encontrar a causa de todos os seus misteriosos problemas. Chegando ao céu ele rapidamente se dirigiu para casa da sacerdotisa de Ifá aleijada que tinha divinado para ele anteriormente. A mulher não foi encontrada em lugar algum. Seu anjo guardião lhe disse que a mulher já tinha partido para a terra e avisou-o para fazer tudo para localizá-la, porque era a única
que poderia fazer sua prosperidade na terra. Foi então que ele compreendeu que era a mulher que ele tinha justamente colocado na cabana na terra. Ele rapidamente retornou ao mundo.
Ofunmeji foi o primeiro dos Olodu ou apóstolo de Ọrúnmilá a ser tornar um rei na terra, porque ele foi o primeiro a vir para a terra. Ele caiu em desgraça por causa de suas tendências ditatoriais.
Durante sua segunda vinda para a terra ele se tornou o último dos 16 Olodus da genealogia de Ifá, depois de Ejiogbe e outros que tenham vindo. Aquilo, entretanto não foi até ele restabelecer contato com a mulher que por sua vez fez divinação para ele. Após a divinação, a mulher avisou para fazer sacrifício com dois pombos, pano preto, bengala, inhame pilado, obi e búzios em uma encruzilhada que se tornaria novamente um rei. Nós veremos mais tarde como o sacrifício beneficiou Ofunmeji.

A ORIGEM DA FRATERNIDADE SECRETA.

O casamento da garota aleijada com Akpena prosperou imensamente. Eles foram avisados que deveriam de ter 16 filhos entre eles. Pouco é conhecido, entretanto dos outros filhos com exceção dos dois mais velhos que eram chamados Ogbo apelidado de Yaya e o próximo chamado de Oni apelidado de Yoyo. Eles cresceram como gatos e cachorros sempre brigando um com o outro. Certa vez resolveram usar de meios diabólicos para destruição mútua. Quando seus pais descobriram que estavam correndo o risco de destruir um ao outro, colocaram-nos em uma cabana que foi anteriormente habitada por sua mãe e fizeram-nos jurar sob o encanto de sua mãe chamada Edan.
No juramento eles prometeram nunca conspirar ou fazer alguma coisa um contra o outro. Aquela foi à primeira cerimônia de iniciação em uma fraternidade secreta.
O nome Ogboni é derivado dos nomes dos dois fundadores Ogbo e Oni. É considerada a ser a primeira sociedade secreta na terra de acordo com Ọrúnmilá.

A SEGUNDA VINDA DE OFUNMEJI PARA TERRA.

Quando ele chegou ao mundo na segunda vez, começou a praticar a arte de Ifá, se especializando em preparar encantamentos de boa sorte para os outros.
Por isso, é dito dele, Ofun lofueni Owo, Ofun lofueni Omo, Ofun lo fueni Aya, significando: Que Ofunmeji é responsável por prover assistência ao povo desejoso de ter o benefício do dinheiro, casamento e nascimento de filhos. Ele era um eficiente benfeitor nestas questões. No entanto, ele estava sendo desprezado e ridicularizado pelo povo que o viu quando caiu da graça para o gramado.
Ele, entretanto replicou para estes zombadores alertando o povo para não atormentá-lo indevidamente porque ainda tinha meios de esfolar e espancar a face do provocador.
A despeito de seu aviso, muitos sujeitos espertos continuaram a desprezá-lo e atormentá-lo. Ele começou a destruir aqueles que estavam abalando-o. Quando o povo começou a sentir a fúria de sua reação, começaram a ficar apavorados. Enquanto isso ele decidiu ir à divinação, aonde foi avisado a desistir de sua postura agressiva. Os Awo que fizeram divinação para ele naquela ocasião foram:

Afuye Omo aje
Ewon bale lowoji
Odidere Awo agbado
Elomon biriti
Babalawo Edu.

Eles lhe disseram para fazer sacrifício por paz, prosperidade, riqueza, e vida longa.
Eles fizeram todos os sacrifícios para ele e ele se tornou tão rico que terminou sendo o Orongun de Illa Orongun. Ele também viveu até a idade avançada. Com tudo é dito, que seu amigo Akpena que casou com uma mulher aleijada se estabeleceu por fim em Itagbolu aonde o altar existe até hoje.


A DIVINAÇÃO PARA ORANGUN E AKÒGÚN.

Obo to bo tOrí eku
Ekutele to soro fun toni ojo oroju
Ojona gooni ojo oroju
Adifa fun orongun. Abufun akÒgún.
O macaco preso no telhado,
Fica faminto por negligência,

É o nome do Awo que fez divinação para Orongun e AkÒgún quando eles estavam disputando o trono de seu falecido pai.
Quando eles lutavam a ponto de se destruir um ao outro, os ministros intervieram. Eles decidiram dar o trono a seu tio. Seu tio não durou muito no trono e em seguida à sua morte, os dois irmãos ajustaram suas contas amigavelmente. Por fim os ministros decidiram dar o trono ao mais velho dos irmãos, Orongun, enquanto que o mais novo Akongun, foi feito porta voz da cidade, sem este consentimento nenhuma decisão de alguma importância, era dada em alguma ocasião. Orongun teve um pacífico e longo reinado com o suporte de seu irmão Akongun.


DIVINAÇÃO PARA AGANBI, A MULHER ESTÉRIL DE IFÉ.

Ofun tututu bi eleji
Amuji kutu wenu,
Ibi Titu maa kanju
Orurun ale won maa nisin.
Adifa fun aganbi ile Ife nijo toon fi omi oju subere omo tuuru tu.

Ofun, o branco, é tão frio quanto à água da chuva.
Beber água do pote e mantê-lo limpo toda manhã,
Antes de enchê-lo novamente.
A sombra fria não precisa se preocupar
Por carência de companhia,
Porque o Sol em breve trará clientes para ele.

Estes foram os Awo que fizeram divinação para a mulher estéril de Ifé quando todos seus relacionados abandonaram-na como um caso de má sorte, porque ela não tinha filhos. Ela foi avisada a fazer sacrifício com um pano branco, um galo branco, uma galinha branca, milho, e mel, e casar com um sacerdote de Ifá. Ela fez o sacrifício e por fim casou com um sacerdote de Ifá.
Ela logo ficou grávida e deu a luz a uma criança. Em sua próxima gravidez deu a luz a um par de gêmeos. Depois disso, todos seus amigos e relacionados, que a tinham abandonado, retornaram para se alegrar com ela. Ela se tornou muito feliz e cantou em louvor aos Awo que fizeram divinação para ela.
Quando este Odu surge na divinação para uma pessoa que está ansiosa para ter um filho, ele deverá ser informado para exercitar paciência e fazer sacrifício. Se o sujeito é um homem, ele será informado a providenciar seu próprio Ifá. Se uma mulher, ela será avisada a casar com um sacerdote de Ifá praticante após fazer o sacrifício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.