sexta-feira, 4 de março de 2011

ITANS DE IKÁ - MEJI

IKA-MEJI

I I     I I
I       I
I I     I I
I I     I I
O nome de Ekameji no céu era Ikere Iyamsi. Ele era um Awo muito poderoso no céu, tendo muitos seguidores sob seus cuidados. Entre tais seguidores estavam, Ekpo-Keune e Eninuo Keun que fizeram divinação para Utukpa. Entre outras palavras, foi o pequeno óleo e a pequena linha que fizeram divinação para a lamparina quando ele estava vindo para colher à recompensa dos seres humanos. A lamparina foi avisada a fazer sacrifício com um galo e 1 galinha e ele o fez. Depois disso recebeu um escravo humano para servi-lo eternamente. Este é o motivo até hoje que um ser humano é quem reabastece ou reacende a lamparina quando está a ponto de se extinguir. Quando a
lamparina estava preste a apagar, o povo freqüentemente chama um menino ou uma menina para reabastecer ou reacendê-la. Se não houver ninguém ao redor, a pessoa deverá fazê-lo por si mesma, tudo em prol da lamparina. Importante como comida, ar e paz são para o corpo, eles agem por si mesmos enquanto que por sua vez, a lamparina é a única que é sempre servida por seres humanos.
Este é porque quando Ekameji surge na divinação para uma pessoa ela é avisada a fazer um sacrifício similar. Se o consulente é um homem ele será avisado que uma mulher está vindo para se casar com ele por vontade e que a mulher o servirá obedientemente e lealmente até o fim de sua vida. Se for uma mulher ela será avisada que encontrará um novo marido que virtualmente a servirá como um escravo e não pensará em casar com nenhuma outra mulher depois disso.

EKAMEJI SE PREPARA PARA VIR AO MUNDO.

Originalmente ele costumava a ser o mais novo discípulo “ODU” de Ọrúnmilá. Ele usualmente sentava entre os discípulos e não com os 15 apóstolos (olodus). Quando ele estava se preparando para vir ao mundo foi a um sacerdote de Ifá chamado Ukere, Gbagburu, Wanu-Awo Oji. Ele avisou para fazer sacrifício com um bode para Èşu, e um carneiro para seu Ifá. Depois disso, Èşu a Ọrúnmilá e lhe disse que Ikere Iyansi (Ekameji) era eficiente e experiente o suficiente para ser um Olodun. Assim é como ele se tornou um dos 16 Olodus.
A maneira que Èşu fez foi contar para Oríşa Nla que os Odus mais velhos eram subordinados a Ekameji e Oríşa Nla sancionou-o para deixar o grupo de Odus e se juntar aos Olodus.

EKAMEJI PARTE PARA TERRA.

Antes de finalmente deixar o céu ele foi a dois Awos para divinação e eles eram chamados Awi Are, Ese Orín Ejo Eure Ejo Onajawa. Eles avisaram para dar outro bode a Èşu, 1 galinha da angola para seu Ifá e 1 pombo para sua cabeça, a fim de evitar o perigo de ter problemas insuperáveis na terra. Ele fez os sacrifícios e partiu para o mundo, em sua nova características como um dos Olodus.
Chegando ao mundo descobriu que por causa de sua pouca idade na genealogia dos apóstolos no corpo literal de Ifá, estava freqüentemente subestimados pelos Olodus, que davam pouca ou nenhuma importância ao que ele dizia. Ele também estava tendo problemas em manter-se dentro de um determinado orçamento. Ele não tinha esposa e nem filhos. Nesse meio tempo, Èşu criou novos problemas para Deus desfazendo sua arte criativa e projetos. Como Deus estava acostumado a fazer, ele decidiu ir disfarçado para descobrir o que estava causando seus problemas. O primeiro Awo que ele encontrou foi Ekameji. Antes de fazer divinação para ele e sem saber que era o Pai Todo
Poderoso, Ekameji exigiu uma bolsa de dinheiro ou equivalente a 50 K como honorários de divinação. Ele disse ao consulente que Èşu era o responsável por destruir seu trabalho, e que ele tinha que oferecer 1 bode em sacrifício. Deus respondeu que ele não poderia juntar o dinheiro para comprar o bode. Ekameji retirou um bode de sua casa e usou-o para servir a Èşu para o supostamente destituído consulente, que ele não pode reconhecer como Deus todo poderoso. Ele meramente fez o favor com base em humanitarismo e compaixão. O consulente então agradeceu
Ekameji, e perguntaram pela residência restante dos Awos mais velhos. E mostrou-lhe a direção da
casa em que Ejiogbe vivia na cidade. O visitante partiu para a casa de Ejiogbe para divinação.
Chegando à casa de Ejiogbe sua reação ao pedido de Deus para divinação foi que ele não tinha tempo para divinação naquele momento importante. Com aquela recusa, Deus deu meio volta e retornou para o céu. Antes de ele chegar a casa, Èşu tinha largado de suas artes e projetos, e as coisas tinham voltado ao normal, tendo aprisionado-o. Três dias depois Ele se vestiu em seu traje completo como o Deus Todo Poderoso e novamente partiu para a terra. Quando Ekameji o viu tremeu e se arrepiou. Ele disse a Ekameji para não se apavorar porque veio para repassar o custo do sacrifício para ele 3 dias antes. Após compensá-lo pelo bode, Deus ordenou que daí então ninguém devesse contestar qualquer coisa que Ekameji dissesse. Assim foi como Ekameji recebeu seu
instrumento de autorídade “Aşe” de Deus que tornou proibido para qualquer sacerdote de Ifá ou divinador questionar o que quer que ele proclamasse. Deus também lhe disse que ele teria toda a prosperidade que ele deseja-se enquanto estivesse na terra. Depois disso, teve grande quantidade de dinheiro, esposas e filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.