quinta-feira, 10 de março de 2011

APETEBI A ESPOSA DO BÀBÁLAWO

A cada quinto dia, que marca o dia da semana de Ifá, também conhecido como Ojó Osè, minha mãe tinha que pintar o altar de Ifa, limpar o assoalho e colocar esteiras novas. Banhar as crianças e vesti-las com belas roupas. 
Eu costumava perguntar a minha mãe: 
Qual é a cerimônia de hoje? 
E ela responderia:
Hoje é o dia da semana de Osè. 
Meu pai, quem algumas vezes havia saído para uma inspeção ocasional de sua fazenda, assegurava-nos que voltaria para casa na véspera do dia da semana de Ifa. Nós tínhamos tanto a semana grande quanto a semana pequena, Ojomode. Após a limpeza, minha mãe e todos os membros da família reuniam-se no santuário com suas nozes de cola (Obi Ose). Faziam preces e dava a noz de cola a Ifa à tarde. Preparavam um bom almoço, cuja melhor parte, o Iru era dada ao Ifá. Este cozido é doce. Eu adorava aquilo.

Preparei este trabalho para esclarecer às pessoas mais jovens da função e dos objetivos do Iyawo Ifa (a esposa de Ifa e a esposa de Babalawo), como conhecemos atualmente. Apetibii ou Iyawo Ifa, para muitos uma jovem dama, não é para o prazer, porque os Babalawos muitas vezes são homens pobres e velhos. Alguns jovens não querem se tornar Babalawo porque a disciplina é dura, e não é fácil tornar-se Babalawo. É certo que se nasce Babalawo, Babalawo não são feitos. Apesar deste entendimento, a questão ainda permanece: 
Por que a obrigação deve ser tão dura que ninguém gosta de se tornar Babalawo e nenhuma mulher quer se tornar esposa de Babalawo?

Iyawo Ifa ou Apetibii não deve mentir, tem que ser honesta com seu marido e não deve incorrer em ato errado, como ter um amante.

Se ela fizer isso, Ifa descobrirá. A Iyawo Ifa deve ser capaz de manter o asseio de seu lar, e lembrar o dia da semana de Ifa, Ojó Osè, seja qual for a sua profissão. Ela precisa respeitar seu marido e receber bem os visitantes que vêm a sua casa, mesmo o marido não estando em casa. Ela precisa cuidar dos negócios do marido. Qualquer Babalawo é seu marido por respeito. É muito difícil se divorciar. A união é para o melhor e o pior e qualquer uma que escolha ser Iyawo Ifa ou Apetebii está sob proteção daquele Ifa que a recebeu. Assim, se ela não está com o Babalawo, ela está desprotegida e vulnerável para o mal do qual Ifá poderia protege-la.
Uma vez que as pessoas não estão cientes de seus destinos nem o que Ifa irá fazer por elas, elas se recusam a estar vinculados a ele. Isto pode acontecer a um homem que foi escolhido para seguir Ifa.
Se ele recusa, pode não viver muito tempo ou não será bem sucedido no que for que faça sem se tornar um Babalawo. E para muitas pessoas tornar-se Babalawo parece um trabalho duro e idiota. Somente aqueles que podem seguir as formigas podem ser seguidores de Ifa (Ehi o tele Ifa lè tele eera) e podem ser bem sucedidos. Ifá não tem pressa, e ele assegurará que tudo seja seguro e bom para seu seguidor. Mas para aqueles que perderam o caminho, Ifá não está pronto para cuidar destes; ele beneficia aqueles que acreditam nele e que observam seus ensinamentos e devoção.
Eis porque um sacerdote tem um nome louvável, tal como:
Aquele que faz a má sorte se transformar em boa sorte.
Pelo qual Orunmila diz: 
Para aqueles que estão próximos dele apesar da má sorte, ele dedicará um tempo para substituir isto. 
Além disso, porque ser Babalawo não é uma profissão na qual se enriquece rapidamente, muitos jovens a rejeitam. Mas é uma profissão de dignidade, afinal. É fantástico ser Babalawo. Uma vez que você é bem informado, você terá o respeito da comunidade, do rei, dos chefes, dos homens de negócio, mulheres, homens, de todo o povo. Mas se mentir uma única vez, ninguém mais o respeitará.
O Babalawo é o pai do mistério, o pai dos segredos, o médico da vida. Babalawo é aquele que memoriza as 256 fases do Odu Ifa e que pode interpretar Ifa em quatro a seis versos, no mínimo, quando um Odu aparece. O Babalawo é também uma pessoa treinada para curar muitas enfermidades. É um prolongado programa de treinamento que segue pela vida inteira.
Outro aspecto da cultura que impede que jovens se interessem em se tornarem Iyawo Ifa é talvez o dote que tem que ser pago aos pais da noiva. O marido não paga um dote, no entanto espera-se que ele saiba cuidar da esposa, provendo alimentação e roupas para ela, e assegurando seu bem-estar.
Uma mulher pode se tornar Iyawo Ifa três dias após o nascimento, quando o Estenaye da nova criança for feito. Se for revelado por Odu Ifa que ela deve esposar um Babalawo, isto tem que ser feito de modo que ela tenha uma vida confortável, sem problemas e longa, assim como conceber muitas crianças.
Se a criança é pequena, a avó deve realizar as tarefas de sua filha. Ela deve fazer Osè a cada cinco dias na casa do marido da filha dela. No caso de uma mulher que é Abiku, nascida para morrer, o templo de Ifa é limpo e dá-se obi para o Ikin a cada cinco dias de modo a evitar o mal que possa acontecer a ela. 
Isto diz respeito ao marido, o Babalawo, que prepara remédios especiais de Ifa de vez em quando para que ela tenha uma longa vida. O marido cuidará para que sua esposa esteja em segurança, mas para isso é necessário que ele consulte Ifá. O Ikin Ifa de um Babalawo em especial, aquele Babalawo que é capaz e já recebeu Apatebii. Ifa tem o poder de resolver problemas na vida; por esta razão, o Babalawo tem que ter um bom conhecimento do Ifa. Também ajuda se ele está protegido, apesar de que isto nem sempre é necessário, porque Ifa fornecerá segurança para ele.
Existem algumas mulheres que por fim se transformam em Iyawo Ifa depois de terem ignorado os avisos do Ifa nos primeiros anos de suas vidas. Mas no momento em que a mulher cresce, ela começa a ter problemas: seja por erros no casamento ou por ser estéril ou parir crianças abiku. Por não ser capaz de desvendar o que é responsável por suas desgraças na vida, essa mulher deve procurar um sacerdote de Ifa. E este lhe dirá que deve casar-se com um Babalawo e isso vai ajudá-la a alcançar seus objetivos na vida. De outra forma esses problemas podem permanecer sem solução. Tudo isso está relacionado com o destino de cada pessoa no céu. Ifa é uma testemunha do destino, Elerii-Ipin, que conhece o destino de todas as pessoas na terra e é muito difícil ir-se contra o destino, o Ipin.
Ayanmo O ju Koole laye (no sentido de estar no mesmo plano) e Ifa estão ali para corrigir todos os erros na vida de todas as pessoas. Vai guiá-las e protegê-las, de forma que elas alcancem o que desejam. 

Deixe-nos ver o que Odu Ifa Òdí'Ìká (Idin Kaa) diz:

O abutre não é um pássaro para apaziguar Ifa.
Nem a águia é um pássaro para apaziguar Ope.
Apenas Osin, um belo pássaro, é dado para acalmar Ifa.
Adivinhação por Ifa foi feita por Asoso a quem foi dito para ficar em casa e venerar Ifa.
Ele disse que não podia ficar em casa e venerar Ifa.
A Morte o levou e o deixou em seu lugar no céu.
A adivinhação por Ifa foi também feita por Woso Woso.
A ele foi dito para ficar em casa e aprender a honrar Ope.
Mas a morte o levou até seu lugar no céu.
Awokonikunyungba é a verdadeira descendência de Agbonuiregun.
Awokonikunyungba, ninguém que fica com Ikin morre cedo.
Ninguém que fica próximo de Ikin tem falta de algo.

Estes versos ressaltam que algumas pessoas perdem suas vidas por recusarem–se a fazer o que deveriam para ter vida longa. Acredita-se que se houvessem feito, permaneceriam vivos por muito tempo. Também se acredita que quem quer que seja que se mantenha próximo ao Ikin no cumprimento da veneração, conseguirá tudo o que deseja na vida.

Ifa, ou por outro lado, Oke Ipori, está algumas vezes guiando e protegendo em espírito a esposa do Babalawo. Neste período o Babalawo está proibido de tocar em sua esposa. Mas é difícil perceber-se este período, a menos que se consulte Ifa, e é por isso que os Babalawo são separados de suas esposas – de forma a permanecer limpo e honesto. Isto aconteceu ao próprio Orunmila no Odu Ifá Owonrinwofun quando as coisas não estavam calmas, estavam tempestuosas. Orunmila consultou Ifa Owonrinwonfun apareceu e disse-lhe para dar uma perna de um bode ao seu Ikin ou Oke Ipori para que seu Ifa o perdoasse e lhe abrisse o caminho do sucesso.
           
Não vejo um homem ajoelhado a nos seguir
Assim não podemos nos molhar com o orvalho.
Adivinhação por Ifa foi feita por Orunmila que tirou a
coxa de Osumilaya e pagou a coxa do bode.

Após Orunmila ter executado o sacrifício, tudo se acalmou outra vez. Ele então chamou a atenção de seu discípulo que ele precisava saber a hora certa de estar com sua esposa, pois Iyawo Ifa ou Apetibii está limitada para seu marido e para Ifa, tal como o Akapo ou Babalawo está sob controle de Oke Ipori e, portanto, não deve abusar do corpo dela.

Apesar de ao Babalawo ser permitido casar de acordo com sua própria capacidade – Ifa não dita o número de esposas que ele pode ter – Orunmila determina diversas condições em vários versos de Ifa. Um exemplo é Òyèkú mèjì, para quem Ifá disse que somente uma esposa é suficiente.

Quando elas passam para duas
Elas se tornam ciumentas.
Quando aumentam a três
A casa se arruína.
Aumentam-se para quatro
Elas zombam umas das outras.
Passa-se a ser cinco
Uma acusa a outra de destruir o patrimônio de seu marido
Aumentam-se para seis
Tornam-se perversas
Quando são sete
Elas se tornam feiticeiras
Quando são oito
Acusam-se mutuamente de ser a mãe daquele cabeçudo
Aquele que inicia os problemas
Quando elas são nove
Elas dizem esta mulher limpou a fazenda de nosso marido
Quando aumentam para dez
Dizem, todos os dias, esta mulher visita nosso marido.

Isto é o que diz Òyèkú mèjì. 

Mas algumas vezes é difícil para um Babalawo limitar suas mulheres, pois de tempos em tempos, através da adivinhação, Ifa pode apontá-lo como marido de outra mulher que nem ele mesmo esperava. Isto, em geral, não é rejeitado. Se o Babalawo está satisfeito por já ter tido esposas suficientes, ele pode dar esta esposa para seu filho ou seu discípulo, apesar de ser ele que agirá como marido e é sua a responsabilidade sobre os problemas que possam surgir na casa de sua esposa.

Também é importante ressaltar que Ifa não perdoa se Apetebii se divorciar. Não somente faz com que Iyawo Ifa receba punição por este ato, como também todos aqueles que a incentivaram nesse ato.

Esta é a razão pela qual as famílias são sólidas e estáveis. Entretanto, a Apetebii pode reclamar de seu marido para a família ou aos Anciões, explicando-lhes as desavenças que surgem. Este é um meio de evitar a separação. No entanto, se a separação acontece, geralmente é a Apetebii que se arrepende e deve desculpar-se pedindo para voltar. E neste caso deve oferecer um cabrito e um obi para acalmar seu marido e Oke Ipori de modo que Ifa possa perdoá-la, e tudo volte a ficar em ordem. Vejamos o que diz Ògúndá Errin:

Aquele que não tem respeito
É aquele que toma a mulher de um caçador
Aquele que é negligente
É aquele que toma a mulher de um ervateiro
A pessoa que escavou sua própria sepultura
Vem à tona para empacotar sua carga
Foi este que roubou a esposa de um sacerdote de Ifa
Adivinhação por Ifa foi realizada para um fazendeiro muito trabalhador que tomou a mulher de Edu
É por isso que você vai respeitar Edu
Como o rei.

Apetebii ou Iyawo Ifa possui seu próprio alto grau de respeito entre as pessoas. Eles não a devem contrariar, a menos que queiram problemas sobre a cabeça dela. E não é porque o Babalawo ficará raivoso e fará trabalho negativo contra sua esposa, é o próprio Ifa que virá em socorro dela, mas devido aos tipos de problemas que Ifa cuidou para esta mulher, ele não mais cuidará, e por isso mesmo, vão pensar que Ifa está lutando por eles. Quando isso acontece e antes que se estenda por muito tempo, esta mulher precisa preparar seu retorno e pedir auxílio ao marido. De modo contrário, o problema permanecerá sem solução.

Nos dias atuais, a maioria dos jovens não pede opinião aos pais quando se trata de escolha para casamento. Isto possibilita uma porção de casamentos fracassados, pois a mulher necessita saber quem é o marido certo para ela, assim como um homem deve saber qual a mulher certa para ele. Isto é feito consultando-se os mais velhos e pela adivinhação por Ifa voltada para os comportamentos familiares, assim como através de uma série de histórias orais sobre o passado da família do marido ou da esposa.


Vejamos outro Odu Ifá que trata do divórcio da mulher de Babalawo.
                       
O Odú Ifá Ogbè'Ògúndá - Ogbè'Yònu determina

Descendência de Okika
Adivinhação por Ifa foi feita pelos descendentes de Orubutu.
Os descendentes de Orubutu.
Façam a adivinhação por Ifa (Opalaba) para a garrafa quebrada.
A prole de Orubutu e Opalaba
Realiza a adivinhação por Ifa para aqueles em Oyilajbomono
Eles têm apenas uma esposa
E eles a trouxeram furtivamente de longe
Ifa não está em casa
Eis porque as pessoas me ridicularizam.
Quando ele chegar, ele me socorrerá.
Obara Ose é aquele que recupera Ogbeyonu.
Qualquer um que toma a mulher do sacerdote de Ifa
A folha Idi vai criar problemas em sua casa
Ifa não está em casa
Eis porque me ridicularizam
Quando ele vier vai me redimir
Obara Ose logo vai trazer a salvação para Ogbeyonu
Ele que roubou a mulher do sacerdote de Ifa
O rato gigante vai cavar o túmulo de todos e levá-los para o céu
Ifa não está em casa
Por isso estão me ridicularizando
Quando ele chegar vai me resgatar.
Obara Ose logo vai trazer a salvação para Ogbeyonu
Ele que levou a esposa do sacerdote de Ifa
A folha Akawoleri mo lo tete
Certamente eles chorarão como o orvalho cai sobre a folha
Ifa não está em casa
Por isso me ridicularizam
Quando ele chegar, vai me resgatar
Obara Ose logo trará salvação para Ogbè Yonu.

Agora, afora as obrigações semanais de limpeza, que é de responsabilidade de Apetebii antes que se mude para a casa de seu marido, é também responsabilidade da família dela fazer todos os arranjos para o casamento. Além disso, o futuro marido necessita acalmar seu Ikin com um animal de quatro patas. No dia em que a Iyawo Ifa ou que Apetibii chega, este animal é fornecido para sua família. Esta foi à ordem de Orunmila no Odu Ifa Idin Ileke. Orunmila deu sua filha Ogbegi para um dos seus discípulos (Omo awo) cujo nome é Arira Gboke Gohun, o sacerdote de Oluweri. Daquele momento em diante, Orunmila decretou que aquele tipo de cerimônia deveria continuar depois dele, que o sacerdote deve seguir o padrão dele. Também contém um aviso para o Babalawo:



Golpeio-os – suavemente. O sacerdote de Egba
Que – tem – uma – conta – na – nuca. O sacerdote de Ijero
O- trovão- que-ecoa-no-alto. O sacerdote de Oluweri

Existiam três discípulos na casa de Orunmila; Orunmilá ensinou como moldar Ikin Ifa, que é Dida Owo, como fazer os signos de Ifa em uma bandeja, que é Ounte-ale, e mais ainda, Okara egbó, que é como fazer o sacrifício. Depois que todos aprenderam a arte e a prática de Ifa, Orunmila exortou-os a serem honestos e a não colocar o amor das mulheres no mais alto de seus corações ou, do contrário, perderiam o desejado caminho do sucesso. Qualquer Babalawo que deseja ser bem sucedido em sua área deve resistir às mulheres.

Um dia Orunmila sentiu necessidade urgente de comer obi e seu Oke Ipori queria receber sangue. Orunmila estava desassossegado e não podia atinar com o que estava errado naquele momento. Chamou sua filha Ogbegi, e lhe deu algum dinheiro para que descobrisse o que era responsável por sua inquietude.

Ogbegi chegou à casa do primeiro sacerdote “Golpeie-os suavemente”, o sacerdote de Egba. Após uma breve saudação, Aboru boye, o sacerdote imediatamente começou a cortejá-la, tocando seus seios e admirando o formato de suas nádegas. Ogbegi explicou-lhe sua missão, que tinha vindo para descobrir quais os problemas para seu pai. Quando este sacerdote “Golpeie-os suavemente”, o sacerdote de Egba fez adivinhação, ele nada identificou, nem foi capaz de prever nada, apenas disse da beleza da pele dela, de seus olhos, etc.

Ogbegi ficou furiosa. Disse-lhe que não foi para isso que tinha vindo e voltando para seu pai, contou-lhe tudo. Orunmila a convenceu procurar um segundo sacerdote, cujo nome era “O – que – tem – uma – conta – na – nuca”, o sacerdote de Okeijero. Ele fez a mesma coisa. Ogbegi ficou ainda mais furiosa, de modo que começou a maltratar o sacerdote. Então voltou para casa e explicou tudo ao pai, que lhe assegurou que não se preocupasse, porque esses dois sacerdotes iriam se arrepender de seu comportamento.

Orunmila disse para Ogbegi para ir à casa de outro sacerdote, de nome “O- trovão – que ecoa- no- alto”, o sacerdote de Oluweri. E foi ele que fez adivinhação para Ogbegi, filha de Orunmila. Ele disse a Ogbegi: “Seu pai está desassossegado e acha que tem alguma coisa de errado com ele.” Ele disse: “Nada há de errado com Orunmila – apenas demasiada sabedoria; tudo o que ele precisa é acalmar seu Oke Ipori com um bode dado por sua mãe”. ““ Também lhe disse”: “ Você é Apetebii, mulher de Ifa”.

Ogbegi agradeceu e partiu de imediato. Ela não se incomodou em informar seu pai; ela explicou as coisas para sua mãe que imediatamente providenciou o sacrifício, dando-lhe um bode, o qual ela levou como um animal doméstico para o santuário, convidando Orunmila a dá-lo a Oke Ipori. No mesmo momento em que o sangue tocou o Ikin Ifa, Orunmila se acalmou e respirou tranquilamente. Ele então perguntou: “Quem disse para você fazer isso?” “Ogbegi respondeu: ““ O- trovão – que ecoa- no- alto”, o sacerdote de Oluweri”.

Orunmila disse para sua esposa Osunmilaya vestir sua filha Ogbegi. Ela pôs-lhe contas nos pulsos e pescoço e deu-lhe roupas caras. Eles a levaram ao sacerdote O- trovão – que- ecoa- no- alto sacerdote de Oluweri. Orunmila entregou à sua filha uma franga, peixe seco, um rato seco e obi. E disse-lhe que entregasse essas coisas ao sacerdote que adivinhou para ela como acalmar o seu Ikin Ifa.

Quando Ogbegi chegou, ela explicou isto para o sacerdote de Ifa e ambos ajoelharam-se no santuário de Ifa. Fizeram orações para agradar o Ikin Ifa. Mais tarde cozinharam alimentos e os comeram. À noite, Ogbegi quis voltar para seu pai, mas o sacerdote de Ifa disse-lhe que a cerimônia ainda não havia terminado, porque quando uma mulher usa contas no pescoço e nas pernas como ela usava, significava que ela era Iyawo Ifa, mulher de Babalawo. Conseqüentemente, ela não iria a lugar nenhum. Ogbegi, que nada entendia, chorou uma noite e um dia inteiros e insistiu em ver o pai. O sacerdote de Ifa disse-lhe que seu viria visitá-la e ela lastimou-se:

Ele me enganou, oh! Orunmila.
O discípulo de Ifa me enganou

Ela cantava e chorava enquanto faziam amor e “O – trovão – que – ecoa – no – alto”, o sacerdote de Oluweri respondia:

Eu ajo de acordo com os ditames de Ifa
Eu ajo de acordo com as instruções de Ifa.

No dia seguinte, a família inteira se reuniu e foi abençoá-los. Fizeram um banquete do quais todos se divertiram e no quinto dia seguinte após o banquete, que era o dia da semana de Ifa, Orunmila veio visitar sua filha e seu discípulo.

Quando Ogbegi viu seu pai chegando, começou outra vez a chorar e lhe contou como o sacerdote de Ifa a havia tratado. Orunmila disse que ele tinha feito o correto. Abençoou a ambos e disse “O- trovão – que- ecoa- no- alto”, sacerdote de Oluweri, que precisava manter-se honesto como sempre fora; disse-lhe como seus dois companheiros se haviam comportado e que pelo comportamento deles, Ogbegi tinha se tornado sua esposa naquele dia. Então, as pessoas e Orunmila cantaram:
                       
“Golpei-os suavemente” o Sacerdote de Egba
São as nádegas de uma mulher que o confundem
“Aquele - que- tem- contas- em- seu- pescoço”, o sacerdote de Ajero
São as nádegas de uma mulher que o confundem.

E Orunmila advertiu seus discípulos contra a beleza e as nádegas de uma mulher – o que pode facilmente deixar as pessoas confusas. Desde então, quando se faz necessário para uma pessoa dar seu filho ou sua filha para um Babalawo, esta pessoa deverá ser responsável por todo o cerimonial do casamento e não receberá dote.

Orunmila disse a sua filha Ogbegi para respeitar o marido e realizar a cerimônia de limpeza do santuário a cada cinco dias, semanalmente. Este é dever de uma Iyawo Ifa ou Apetebii: limpar o altar, lavar a bandeja de madeira de Ifa, pintá-la com efun, ajudar o marido a atender os visitantes que vêm para ver Ifa, e também receber e entreter os convidados que o Babalawo recebe de sua própria região ou de outras cidades.


O PAPEL DA MULHER

Da mesma forma que existem homens de conhecimento e muita cultura que praticam o trabalho espiritual do Ifa, também existem mulheres de grande integridade. Osun foi a primeira a dar início à emancipação feminina. Em um dos Odu Ifa, Osetura, Osún era a única mulher entre as divindades, Irunmale, a quem o Deus Supremo, Olodumare enviou a este planeta para manter o mundo com o conhecimento de todos. Porque Osun era uma mulher, os outros não a convidavam para suas reuniões. Para demonstrar que ela era a rainha de todas as feiticeiras, ela destruiu todos os seus planos. Eles retornaram a Olódumaré e ele perguntou como estava a mulher entre eles. Eles responderam que não a convidaram para seus encontros por se tratar de uma mulher. Olodumare disse que eles a convidassem e se desculpassem com ela pelo que fizeram e as coisas se acalmaram. Osun solicitou que a permitissem ver todos os seus segredos e exigiu ser admitida para assistir todas as reuniões e depois ela os perdoaria com o que eles concordaram.

Em outro Odu Ifa, Osún chegou a iniciar algumas pessoas em Ifa enquanto seu marido estava fora em uma viagem espiritual. É importante salientar que como esposa de Orunmila, uma mulher não deve ver Olofin enquanto estiver passando pela iniciação. Isto é proibido. Esta é a razão pela qual temos duas cerimônias diferentes para a iniciação: elegan, para aqueles que não têm Odu ou Olofin durante a iniciação, e olodu para pessoas que fazem o ipana durante a cerimônia.

O papel da mulher não está limitado à cerimônia do culto e a realizar a limpeza, a celebração semanal. Existem algumas Akapo de Ifa, a quem não é permitida estudar a arte e a prática do Ifa. Algumas são Agbarmate, aquelas que recebem o Ikin Ifa sem passar pela iniciação. Outras, chamadas Iyalase, só cuidam do Ifa aprendendo as cantigas e as danças do culto, mas não possuem um saber mais profundo sobre o Ifa.

É através do conhecimento e do treinamento que uma pessoa pode ser reconhecida como Babalawo, ou sacerdote de Ifa. As mulheres que estudam e aprendem a arte e prática de Ifa, entretanto, não podem ser chamadas de Babalawo. Elas são vistas como Iyanifa, mulher que tem conhecimento sobre o Ifa. Da mesma forma, a iniciação não transforma de imediato uma pessoa em sacerdote. Uma cerimônia de iniciação pode ser feita para um garoto de cinco anos, mas isso não significa que ele virou um sacerdote imediatamente.

Ele ainda necessitará ser treinado antes de poder ser um sacerdote de qualquer que seja o orixá para o qual foi iniciado. Reis, chefes, homens de negócios têm que fazer a iniciação e receber o Ikin Ifa. Mas isto não os faz sacerdotes. É minha esperança que este livro lance luz na escuridão e nos mostre mais sabedoria recebida de nossos ancestrais.

Àràbà Yemi Elegbuibon
Sábio de Osogbo

A primeira e principal mulher de Òrúnmìlà  

Osumilaya, também conhecida como Osumileyo, foi a primeira principal mulher de Orunmila, mesmo tendo em conta que Orunmila teve diversas outras mulheres. O nome de Osumilaya foi o mais famoso dentre todas essas esposas. Teve vários filhos dele e tiveram um feliz casamento.

O rei Olofin enviou para Orunmila e seus discípulos, os olhos de Oju e Ikun. Os três Babalawos foram para o palácio. Eles adivinharam para Olofin e Ejiogbe apareceu. Oju, como o mais novo, foi o primeiro a ler uma interpretação de Ifa para o rei:

Ele disse que foi por causa de crianças que Olofin os convidou para adivinhar
Ele disse que Ifa viu a benção de uma criança para o rei e que seria uma menina e que para a proteção dela, ela deveria casar-se com um sacerdote de Ifa, ele mesmo, Oju.

Ikun foi o segundo a interpretar Ifa para o rei:

Ele disse que Ifá viu a benção de uma criança para o rei Olofin e que seria uma menina que, para sua própria sorte e proteção, deveria casar-se com ele, Ikun.

O terceiro e último, mas não o menos importante, era Orunmila que destacou todos os problemas para o rei Olofin e disse-lhe que outra criança iria nascer e que seria mulher e deveria casar com um sacerdote de Ifa, ele mesmo, Orunmila.

O rei Olofin realizou a oferenda necessária e esta foi aceita.
           
A primeira criança recebeu o nome de Tee
E foi dada a Oju como esposa.
A segunda recebeu o nome de Oyin
E foi dada a Ikun como esposa
A terceira recebeu o nome de Osumilaya
E foi dado a Orunmila, o grande sacerdote de Ootu Ife, como esposa.

Depois de certo tempo Orunmila e seus discípulos partiram de Ile-Ife e só retornaram dezesseis anos depois.

Tee foi afastada de Oju.
Oyin foi afastada de Ikun.
Também Osumilaya foi afastada de Orunmila.

Isto deixou Orunmila aborrecido e fez com que a casa de Olofin se tornasse escandalosa e quente.

Então eles devolveram Tee a Oju.
E devolveram Oyin a Ikun.
Também Osumilaya foi entregue de volta a Orunmila.

Se alguém é belo, é comparada a Tee, a esposa de Oju. Se alguém é gordo, eles se referem como “tão gorda como Oyin”, mulher de Ikun. Ninguém separa Tee de Oju ou Oyin de Ikun. Também é assim com Osumilaya: impossível separá-la de Orunmila.

De todas as esposas que Orunmila teve segundo a revelação do Ifa, só Osumilaya lhe deu muitos filhos. Entre os nomes famosos da descendência de Orunmila temos Amosun e Dosunmu. Odu Ifa também dá os nomes de vários outros filhos de Osumilaya, tais como:

Ako a jo lola
Aguala losu
Omo bokun omo eni abe ide
Omo eni o sedi bebere
Ka fi Ileke si idi omo elomiram
Omo eni lama eni je...etc.

Um cão tem honra;
Venus é a lua
Uma criança recusou as contas de Okun e, ao invés, recebeu cobre
Uma criança tem as contas em suas nádegas
Você não pode retirar as contas dele e colocar nas nádegas de outra criança Seu filho é seu filho... etc. (Èjì Ogbè)

Você não pode retirar as contas dela e colocar nas nádegas de outras crianças
Seu filho é seu filho... etc (Èjì Ogbè)

Referência: Èjì Ogbè.


NOTAS

Agui ala losu – o arco iris se transformou na lua
Ako aja lola – o cão tem honra
Babalawo – sacerdote de Ifá, o pai dos segredos
Ejiogbe – o principal Odu de Ifa
Ikun – estômago
Ka fi ileke si idi omo elomiran – aquele que não pode colocar contas nas nádegas de outra pessoa
Oju – os olhos
Olofin – rei de Ile Ifé
Omo eni o se ai bebere – criança que tem bunda grande
Omo bokun – criança que produziu preciosas contas, ela se tornou cobre.
Ootuife - a primeira Ile-Ife
Orunmila – “o céu sabe aqueles que deverão ser salvos”. O profeta antigo.
Osumilaya – filha do rei Olofin, foi à primeira esposa de Orunmila e é também conhecida como Osumileyo.
Oyin – felicidade, alegria.
Tee – algo que está no alto

Um comentário:

  1. Saudações,

    Estava eu navegando pela net, embusca de algum estudo referente a Ifá e deparei com sua página a qual me fez abrir e ler com muita atenção e acabei ficando maravilhada com uma frase: Não vendo ilusões, trabalho seriamente dentro das leis divinas e divulgo a palavra de ÒRÚMILÁ/IFÁ!
    Essa frase me trouxe uma luz, já que venho buscando contato com um Babalawo sério que realmente respeite as leis divinas, diante de sua página, senti um impulso forte em lhe escrever, pensei bastante e estou aqui, gostaria imensamente de poder ter um contato mais direto com o senhor, pois o meu assunto é delicadoe eu preciso de uma orientação referente ao mesmo. Espero que o senhor receba esta mensagem e me dê a oportunidade de conversar. meu msn é guardia.5@hotmail.com
    meu nome é Janduí Fernanda e moro em Manaus.
    Desde já agradeço a sua atenção.
    Rogo a Yiá Mi Osun por sua felicidade sempre. asé!

    Manaus,17 de Junho de 2011

    Janduí Fernanda

    ResponderExcluir

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.