terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ITANS DE IWORÍ MEJI

IWORÍ-MEJI BRIGA POR SENIORIDADE NA TERRA.

Na chegada ao mundo, ele descobriu que seus dois irmãos mais novos, Ejiogbe e Oyeku-Meji, que vieram a terra antes dele, tinham respectivamente sido coroados reis do Dia e da Noite.
Desde o princípio ele estava determinado a firmar a sua seniorídade celeste na terra sobre seus dois irmãos. Igualmente seu signo, 2 dentro e 2 fora, estava destinado a opor-se as autoridades de Ogbe e Oyeku.
I I   I I
I     I
I     I
I I    I I
De sua parte, eles estavam igualmente determinados a impor sua autoridade terrestre sobre Iworí.
Numa tarde Iworí estava sentado na frente de sua casa quando viu uma grande procissão se aproximando. Ele viu que todos se curvavam em reverência a um homem num cavalo, na liderança da procissão. Quando chegara onde Iworí estava sentado ele viu que era Ejiogbe, para quem todas aquelas reverencias estavam sendo feitas.
Quando ele viu Ejiogbe, não dobrou seus joelhos para cumprimentá-lo, como todos os outros estavam fazendo. Ele apenas agitou o seu próprio rabo de cavalo (Oroke), para cumprimentar ejiogbe como são habituados a fazer. Ele não viu porque tinha que se ajoelhar para seu irmão mais novo, porque não havia tradição qualquer, exemplo do irmão mais velho, um rei colocando seu joelho no chão para cumprimentá-lo.
Ejiogbe, então parou o cortejo e ordenou que se Iworí se achasse tão importante para não cumprimentá-lo como todos os outros estavam fazendo. Ele no futuro se fecharia em sua própria casa durante o dia, se não pudesse se vir estando sob a autorídade do rei do dia. Iworí então se recolheu para dentro de sua casa em fúria.
No cair da noite ele saiu de casa para andar ao redor. Quando ele foi à encruzilhada próximo de sua casa ele viu novamente outro cortejo, no qual encabeçava, Oyeku meji, com um brilho ofuscante que era tão brilhante quanto os raios do sol. Novamente ao invés de se ajoelhar para cumprimentar Oyeku Meji como todos os outros estavam fazendo, e amenos abanou seu (Oroke) para ele. Mas uma vez, Oyeku lhe disse que se ele não se sujeitasse a autorídade do rei da noite, ele se absteria de sair de sua casa a noite.
Ele então retornou para casa. Desta maneira ele estava efetivamente proibido de sair de sua casa de dia ou de noite naquela situação. Ele nunca poderia sair de sua casa para ir buscar seu pão diário.
Quando Èşu viu que a condição de Iworí estava se tornando insustentável, ele se transfigurou em um chefe e foi até Iworí para avisá-lo a convidar seus dois irmãos para uma reunião para decidir suas diferenças à benevolência de Èşu que Ejikko Iworí deu-lhe antes de partir do céu.
Iworí aceitou a recomendação do chefe e convidou Ogbe e Oyeku, para encontrá-lo aos pés da palmeira onde as divindades desceram do céu, e através da qual Ọrúnmilá, retornou ao céu. Eles finalmente se encontraram naquele ponto para discutir seus problemas. Tanto Ogbe, quanto Oyeku insistiram em assegurar sua superiorídade terrestre sobre Iworí. Foi finalmente acordado que Iworí ocuparia a terceira posição.
Ele aceitou a posição relutantemente. De fato é mostrado que ele voltou aos Awo celestes que o avisaram para dar um carneiro para Ifá para possibilitá-lo com tanta ou mais autorídade que seus dois irmãos. Ele fez o sacrifício no céu antes de voltar a terra. A significância especial desta parte da vida de Iworí é que quando surge no ugbodu, à pessoa deve ser a terceira criança de sua família.
Ele deve ter reencarnado anteriormente, ou ele deve ter morrido logo após nascer, e ter nascido de novo através dos mesmos pais.
Nesta seqüência lógica, eu contaria que eu tenho uma criança que foi dado o seu próprio Ifá logo após seu nascimento quando ele estava a ponto de morrer. Foi-me revelado por Ifá, oito anos atrás porque ele perdeu sua seniorídade. Eles me perguntaram se eu tive uma criança antes. Foi quando lembrei que a primeira criança nascida de sua mãe foi um par de gêmeos ambos machos. O primeiro das duas crianças a apontar morreu cinco dias após o nascimento no hospital geral na cidade de Benin no estado de (Bendel) da Nigéria. Dois anos depois sua mãe teve outro menino e foi esta criança para quem Ifá havia sido preparado. Ele ficou bem depois de completada a cerimônia. Seu Ifá é Iworí Meji.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.