terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ITANS DE OWANRIN - MEJI

O ÚLTIMO MAIOR TRABALHO DE OWANRIN-MEJI - ELE SALVOU A ESPOSA FAVORITA DO OLOFEN DAS TRAMAS MALÉFICAS DE SUAS COMPANHEIRAS.

O Rei de Ifé tinha muitas esposas, mas uma delas conquistou a chave de seu coração. Esta invocou naturalmente a inveja e o ódio de suas companheiras. Elas tiveram sucesso usando meios diabólicos para fazê-la estéril. Então o Rei convocou Owuanrin-Meji para ir ao seu palácio em Ifé para ajudar sua esposa favorita a ter um filho. A mulher era chamada Eninikpola. Chegando a Ifé, ele fez divinação para a mulher, advertindo-o a fazer sacrifício com um cachorro e 1 galo para Ògún e 1 bode para Èşu. Ela foi avisada a não permitir a ninguém ver os animais antes do sacrifico ser feito.
Com a intenção de fazer o sacrifício, ela esqueceu o aspecto sigiloso necessário. Depois de comprar os animais sacrificais, ela deixou-os no jardim aberto do harém do palácio. Nesse meio tempo o tigre do rei desapareceu e não estava em lugar algum para ser encontrado.
Uma recompensa foi oferecida para o tigre ser devolvido vivo para o palácio.
Foi nesse ponto que ela fez o sacrifício. Como era a tradição, as cabeças das vítimas sacrificais tinham que ser deixadas no altar da divindade servida. Após oferecer os sacrifícios para Ògún e Èşu, as cabeças do bode, cão e galo foram deixadas nos 2 altares. Todas essas coisas foram feitas para o completo desconhecimento de suas companheiras. Mais tarde naquela noite, as companheiras combinaram de ter a cabeça de um tigre recém sacrificado e depositá-lo ao altar de Ògún, dessa forma preparando o terreno para acusar Eninikpola de usar o tigre do Rei para o ritual de sacrifício.
Na manhã seguinte, após a visão da cabeça do tigre no altar de Ògún, as companheiras foram relatar ao Rei que alguém tinha usado seu tigre desaparecido para fazer sacrifício. Ele perguntou para todas as mulheres do harém e as acusações apontavam para sua esposa favorita. Ele então a convocou para interrogatório, acusando-a de assassinar seu tigre e avisando-a de que a pena era a morte. Ela foi rapidamente confinada em grilhões.
Nesse meio tempo, Èşu havia se transformado em um servo dos deuses que retirou a cabeça do tigre do altar, recolocando as cabeças de cachorro. Durante o julgamento seguinte, Èşu influenciou um dos conselheiros do Olofin para propor ao rei que antes de condenar a mulher, a ofensa deveria ser verificada e a cabeça do tigre mostrada. Concordando com a plausibilidade da sugestão, o rei indicou duas pessoas para ir ao altar de Ògún e voltar com o que quer que fosse que eles vissem lá.
Eles trouxeram as cabeças decapitadas de cão e galo.
Em vista do que eles trouxeram, Eninikpola confirmou que aquelas eram as cabeças do cão e o galo com os quais ela fez o sacrifício para Ògún. Quando perguntou qual era o propósito do sacrifício,
ela explicou que fez o sacrifício para ser capaz de ter um filho.
Ela foi imediatamente desacorrentada. Uma investigação foi conduzida para achar a origem da acusação da cabeça de tigre, e a mulher que tramou a conspiração foi sumariamente executada.
No final daquele mês, Eninikpola ficou grávida e conseqüentemente teve um menino. Ela finalmente se alegrou e agradeceu a Owanrin-Meji por resolver o seu problema.

ELE FEZ DIVINAÇÃO PARA DUAS ESPOSAS DO MESMO MARIDO.

Akiriboto tinha duas esposas que tiveram uma desavença, poucos dias depois, o filho da esposa mais nova (Iyawo) ficou doente. Quando a criança estava preste a morrer, elas foram à divinação com Owanrin-Meji, que pediu a um Awo visitante para fazer divinação. A Awo era chamada:

Akitikpa Odigba mu Uriko - A corda continha Irókò
Uroko Odigba mu Akitikpa - Irókò continha a corda

Ele pediu a esposa mais velha (Iyaale) para narrar a disputa entre ela mesma e sua companheira, com uma amiga em seu caminho ao mercado.
Ela rapidamente recordou-se que num dia de mercado, após um desentendimento com Iyawo, ela decidiu ir ao mercado com uma amiga. Depois de contar para sua amiga como Iyawo a ofendeu, a amiga recomendou-lhe a esquecer a jovem mulher porque ela era ainda muito inexperiente para apreciar a enormidade de suas ações.
O Awo lhe disse que as feiticeiras, acidentalmente, estavam mantendo uma reunião no alto do Irókò ao lado da estrada do mercado, ao mesmo tempo em que ela narrava a estória para sua amiga.
Foi antes de ela voltar de viagem do mercado que o filho de sua companheira ficou doente, porque as feiticeiras intervieram nesta questão.
O Awo disse para fazerem um sacrifício à noite com um coelho para ser desenterrado no pé de Irókò no caminho para o mercado. Ele recomendou-as a ir ao pé de Irókò aonde elas encontrariam um pequeno monte, no qual tinha um coelho. Ele avisou-as para desenterrar o coelho, matá-lo e usá-lo para o sacrifício.
Elas realmente fizeram como foram recomendadas, e mataram o coelho e o usaram para o sacrifício. Logo em seguida a criança doente ficou bem.
Quando este Odu surge para uma mulher, ela deverá ser avisada para abster-se de contar suas discussões domésticas, especialmente com sua companheira, no caminho para o mercado.
Se surgir para uma criança doente, está claro que a doença foi acusada por uma discussão que sua mãe teve com sua companheira. Elas serão avisadas para fazer sacrifício com um coelho para as
mais velhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.