terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ITANS DE OWANRIN - MEJI


OWANRIN-MEJI
I I   I I
I I   I I
I     I
I     I
O trabalho mais importante feito no céu por Owanrin-Meji foi à divinação para dois irmãos, Fefe e Ale (o vento e o solo), quando eles estavam vindo para o mundo. Ele os avisou para fazer sacrifício a fim de ordenar o respeito de tudo e todos na terra.
Ambos foram avisados a fazer sacrifício com uma folha de palmeira, uma pena de papagaio e um carneiro para seu anjo guardião e também dar um bode a Èşu. Ale é muito calmo, paciente e muito bom ouvinte e rapidamente fez os sacrifícios. Fefe por sua vez, muito veloz, velhaco e cheio de presteza. Ele era tão conceituado que não considerou necessário fazer nenhum sacrifício. Ambos partiram para a terra ao mesmo tempo. Chegando à fronteira entre o céu e a terra, eles seguiram seus caminhos. Ale foi muito bem sucedido na terra, aonde ele se tornou o papel âncora de Deus das criaturas vivas. Eles tinham sido avisados no céu que poderiam viver para sempre se fizessem o sacrifício. Desde que foi só Ale que fez o sacrifício, a produção que todas as plantas e animais vindos ao mundo tinham primeiro que prestar homenagens a ele tocando-o ou sua cabeça no chão para Ale. Fefe por outro lado não pode viver muito na terra. Sua residência era efêmera, porque ele permaneceu se movendo entre o céu e a terra. Este é o porquê o chão tem uma estabilidade e existência permanente na terra, enquanto o vento não é apenas invisível, mas não tem existência conhecida. Sua presença só pode ser sentida, mas não vista.

OWUANRIN MEJI SE PREPARA PARA VIR AO MUNDO.

Vendo que muitos de seus irmãos mais velhos no céu tinham partido, também decidiu que era o momento de ir e ver como as coisas eram na terra. Estava muito assustado pelas histórias azaradas contadas pelos outros, e decidiu que antes de vir para a terra, tinha que fortificar a si mesmo.
Ele abordou um sacerdote de Ifá no céu chamado Osukpa, omo alaso Arankije, que lhe fez divinação. Foi avisado para fazer sacrifício com 3 ratos, 3 peixes, 3 cabras, 3 bodes e 2 cachorros, como segue:

2 bodes para Èşu Obadara;
1 bode para Èşu - Jelu;
1 cabra para Oríşa;
1 cabra para Ifá;
1 cabra para Sarah;
1 cachorro para Ògún;
1 cachorro para Obalifon;
1 galo para Uja Atikiriji;
1 galo para Osoyin;
1 galo para Enimity.

Ele foi avisado que ele iria passar por três julgamentos enquanto na terra e que aqueles sacrifícios eram necessários a fim de sobreviver a eles. Foi avisado que levaria uma vida próspera, mas que Morte sempre estaria em seu rastro com um porrete. Também na rota de sua vida, estava o risco de uma longa e incapacitante doença. Por trás dos dois julgamentos estaria o bem vindo sopro da prosperidade e da saúde. Ele fez todos os sacrifícios.
Por conta do elaborado sacrifício que ele preparou para Èşu, começou a ver os bons efeitos até mesmo antes de partir para a terra. Tão logo Èşu comeu seu bode, ele removeu o crânio do cão dado para Ògún e colocou-o na entrada da casa do Rei da Morte. Enquanto isso Ògún estava procurando pelo crânio do cachorro que ele havia comido e encontrou-o na casa do Rei da Morte, que naquele momento estava fora em seu trabalho rotineiro e diário na terra em busca de comida. Ògún viu por fim o Rei da Morte em algum lugar na terra e deteve-o. Desnecessário dizer que Ògún é muito forte e muito mais perverso que Morte. Ògún acusou Morte de roubo e ingratidão, dizendo que ele não estava satisfeito com a carne humana que ele ia buscar por meio de acidentes todo dia, mas havia também começado a desejar ardentemente sua própria comida favorita, o cachorro.
Sabendo que ele estava indefeso no combate com Ògún, Morte desapareceu como ele é acostumado a fazer. Ògún, por outro lado, não tinha a capacidade de desaparecer. Ele, entretanto correu velozmente de volta ao céu para encontrar Morte em sua casa.
Quando Ògún encontrou Morte em sua casa, começou a atacá-lo com sua arma (machado). Morte, que é uma divindade alta e gorda, considerando o castigo muito para ele, gritou para todos os cães no céu para estarem unidos. Seus seguidores juntaram 201 cachorros e assaram sete deles imediatamente para Ògún, que tinha nesse meio tempo destruído muitas vidas e propriedades no céu.
Enquanto Ògún punia a Morte, sua esposa, a divindade da Doença foi ferida na debandada geral e não pode seguir Owanrin Meji na terra, como havia planejado fazer. Foi durante a confusão no céu que Owanrin Meji afastou-se sorrateiramente do céu em sua jornada para a terra.
Quando a poeira baixou e Ògún havia deixado a Morte em paz, Ariku e Aje (longa vida e prosperidade) tiveram a oportunidade de acompanhar Owarin Meji ao mundo. É importante observar como sacrifícios elaborados feitos por Owanrin Meji começaram a se manifestar, distraindo a atenção dos obstáculos que o perturbariam na terra. Este é o motivo porque os filhos e seguidores de Owanrin Meji são dotados com riqueza, vida longa e prosperidade, desde que eles sejam capazes de fazer o mesmo sacrifício que ele fez antes de partir do céu para a terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.