terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ITANS DE IROSUN - MEJI

IROSUN - MEJI COMEÇA UMA NOVA VIDA NA TERRA

Tendo esquecido seus pedidos no céu, ele não exatamente encontrou uma vida fácil no começo. Ele ficou a procurar por algum tempo antes de achar seu rumo apesar do sacrifício que tinha feito.
Aquilo era devido o efeito da maldição da mãe dos obstáculos. Ele se tornou um viajante onipresente se movendo de uma cidade a outra para praticar sua arte de Ifá.
Durante uma de suas viagens, se casou com uma mulher chamada Moromokpe (Imiomotie em Bini) que era habituada a flertar a cerca de todas as vezes que ele estava fora de casa. Ela, contudo ficou grávida, e durante o trabalho de parto, não podia dar a luz. Depois de tentar de tudo ele ficou perplexo. Naquele momento, outro sacerdote de Ifá chamado Adawara se wara, veio visitá-lo. Era famoso pelas suas divinações que aconteciam imediatamente. Quando ele fez divinação no porque a mulher tinha dificuldade no parto, ele revelou que ela havia cometido adultério depois ficando grávida e que ela não pariria a menos que confessasse sua ação criminosa.
Quando a mulher foi interrogada intimamente, confessou ter tido um caso com dois homens antes e durante sua gravidez. Depois de sua confissão ela pariu facilmente. No sétimo dia, Irosun-meji recebeu novamente a visita de Adawara se Wara para a cerimônia de divinação do nome. Ele descobriu que tinha uma boa criança, mas avisou-o que sacrifício deveria ser feito com um galo e um bode a fim de minimizar os problemas que a criança estava propensa a encontrar na vida.
A criança foi nomeada Ifamude (Ihasaindo em Bini). Quando a criança cresceu ele preparou um bumerangue (ekpede) para si.
O sacerdote de Ifá havia alertado que a criança será avisada a nunca ir à floresta no dia de descanso, a fim de diminuir o risco de ter a visão de seu anjo guardião na floresta. Sua mãe também era chamada Deyi.
Um dia, seu pai estava longe da fazenda, enquanto sua mãe fora ao mercado deixando-o sozinho em casa. Fora à malandragem, ele subiu através do telhado da casa e escondeu-se segurando seu bumerangue. Para seu total espanto, as cabras na casa apareceram em diferentes trajes pertencendo a sua mãe.
Quase em harmonia as cabras começaram a cantar:

Uja bele bele takoko;
Deyi lo oja;
Eran wule ogbedo kpaseba;
Eye wule egbedo kpa seye;
Uja bele bele ta ko ko;

O significado da canção é que as cabras estavam reclamando que Irosun-meji e sua esposa Deyi eram tão sovinas que eles não poderiam (davam-se ao luxo de) oferecer alguma das centenas de cabras e galinhas que eles tinham na casa para seus antepassados.
Ifamude ficou tão atônico com o incidente que ele rapidamente desceu, pegou a arma de seu pai no altar de Ògún e matou a cabra cantando. O restante das cabras correu mato adentro com as roupas de Deyi as quais elas vestiam.
Quando Deyi retornou do mercado, ela descobriu que todas as cabras tinham desaparecido com todas as suas roupas. Quando ela viu a cabra morta que não pode correr para longe, ela questionou ao filho o que tinha acontecido e Ifamude narrou os eventos para ela. Ele explicou que o motivo de não ter perseguido as cabras até a floresta era porque era um dia de descanso. Quando ele era proibido de entrar na floresta.
Quando seu marido retornou da fazenda ele também foi informado do que tinha acontecido e agradeceu aos seus antepassados por pouparem a vida de seu filho na circunstância a qual se encontrava, quase imediatamente pegou uma cabra colorida de cinza, duas galinhas e um peixe para fazer o sacrifício para seus antepassados.
Quando este odu surge na divinação o sujeito será avisado a tomar cuidado com o risco de roubo e furto a sua volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.