terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ITANS DE IROSUN - MEJI


I     I
I     I
I I   I I
I I   I I





Muito pouco é conhecido dos trabalhos celestes de Irosu-Meji. Ele está associado a dois trabalhos principais e um de menor importância no céu.

ELE FEZ DIVINAÇÃO PARA TODAS AS DIVINDADES ANTES DELAS PARTIREM DO CÉU PARA A TERRA.

No céu ele era chamado Akpejo Uku, que é o homem que pode alterar o curso da morte. Ele avisou
as 200 divindades antes de partirem do céu que, chegando na terra, deveriam abster-se de impor regras inflexíveis e normas, porque leis rígidas criavam afastamentos e evasões. Avisou-lhes para buscarem o apoio de Èşu, oferecendo um bode a ele. Eles se recusaram a fazê-lo porque tradicionalmente desprezavam a divindade trapaceira. Ọrúnmilá foi o único que deu o bode a Èşu.
Depois disso todos partiram para a terra.
Assim que eles se estabeleceram na terra, o 1º decreto eles promulgaram, sendo que tão logo algum deles começasse criar cabelos grisalhos, aquela divindade retornaria para o céu.
Conforme o decreto, quem quer que tenha cabelos brancos morria. Finalmente foi a vez de Ọrúnmilá ter cabelos grisalhos. Assim que os cabelos grisalhos se tornaram predominantes em sua cabeça, as outras divindades recordaram-no que era sua vez de morrer. Ele concordou com eles que era chegada à hora para ele retornar para casa no céu.
Nesse ínterim, ele consultou seu Ifá, que avisou a fazer sacrifício com um bode para Èşu e também inhame seco triturado e misturado com cinzas e amarrar o pó em uma sacola feita de ráfia, na entrada principal de sua casa. Depois disso, ele deveria servir Ifá com um porco e alimentar todas as divindades restantes com ele. Ele fez todos os sacrifícios e preparações como foi avisado.
Então chegou o dia do banquete o qual se supunha ser uma festa de despedida para ele antes de partir para o céu. Tradicionalmente era proibida a entrada na casa de algumas das divindades com um gorro na cabeça. Assim que alguns deles alcançaram a entrada da casa de Ọrúnmilá, ele tinha que remover seu gorro naquele ponto, Èşu esfregou o cabelo dos visitantes com o pó de dentro da sacola na entrada e ficaram imediatamente grisalhos. Ele colocaria seu gorro na cabeça após atravessar a entrada. Aquele ritual foi feito por cada uma das divindades visitantes, mas sem o conhecimento delas todas.
Assim que a refeição estava terminada, todos perguntaram a Ọrúnmilá quando ele iria morrer. Ele respondeu que ele tinha completado seus preparativos para morrer naquela noite, porque estava muito satisfeito em participar no grande volume de mortes que estava preste a tomar lugar. Eles se perguntaram o que dizer com mortes em massa, já que ele era a única divindade conhecida marcada para morrer.
Ele então explicou que já que não era o único que tinha adquirido os cabelos grisalhos, concluiu que todos eles deveriam ter de morrer simultaneamente. Ele lhes disse para remover seus gorros de suas cabeças, e descobriram, para espanto geral, que todos na câmara tinham ficado completamente grisalhos.
Em face da perplexidade resultante, eles rapidamente aprovaram unanimemente a resolução que desde então, apenas aqueles que eram velhos o suficiente para morrer, morreriam. A resolução destacou que a aparência grisalha dos cabelos nas cabeças de alguém, já não constituía o padrão para medir o tempo para a morte. Aquele foi como Ọrúnmilá modificou o mórbido decreto das divindades, porque se aquela lei tivesse persistido ninguém teria vivido mais de 40 ou 50 anos na terra.

IROSUN-MEJI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Culto Tradicional Yorùbá, vem resgatar nossa cultura milenar, guardada na cabaça do tempo.